Sangari afirma ter recebido pagamento por CNPJ válido

Empresa recebeu R$ 36,3 milhões do governo do Distrito Federal

Fred Raposo, iG Brasília |

A Sangari do Brasil afirma que os R$ 36,3 milhões que a empresa recebeu do governo do Distrito Federal, entre dezembro de 2007 e janeiro de 2008, foram por CNPJ válido. A empresa por meio de sua assessoria, explica que a conta bancária onde o valor foi depositado tem o CNPJ da matriz - não o da filial, desativado em 2005.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF) confirma que as ordens bancárias obtidas pela reportagem, que comprovam o pagamento para o CNPJ desativado, foram emitidas pelo GDF para a Sangari.

Mas, de acordo com a Secretaria, como a Sangari e o GDF tinham conta corrente no Banco de Brasília (BRB), onde foram feitos os pagamentos, "não houve necessidade de convalidar CNPJ, já que o nome do credor, o banco, a agência e a conta corrente estavam corretos para o crédito".

Ou seja, como não teria precisado validar junto ao BRB o CNPJ desativado - expresso nas ordens bancárias que posteriormente foram remetidas ao Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) -, o GDF depositou o dinheiro em uma conta da Sangari sem checar se o CNPJ era válido ou inválido. Apesar do erro, segundo a SEDF, não foi possível cancelar o depósito e fazer uma nova ordem bancária para o CNPJ correto da Sangari, como normalmente ocorre nesses casos.

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG