PF dará proteção a delator do mensalão do DEM

Pedido do MPF, que alegou risco de morte para Durval Barbosa, foi acatado pelo Superior Tribunal de Justiça

iG São Paulo |

Reprodução
Durval Barbosa, delator do mensalão do DEM
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu o pedido do Ministério Público Federal (MPF) de conceder proteção da Polícia Federal a Durval Barbosa, pivô e delator do esquema do chamado mensalão do DEM. A decisão é uma resposta ao pedido formulado pela subprocuradora Raquel Dodge, para quem o delator sobre um “elevado risco de morte” por conta da situação.

Documentos da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal apontam que Durval era alvo de planos de assassinato descobertos pela polícia.

Durval Barbosa é réu do inquérito que investiga um suposto esquema de corrupção no governo do Distrito Federal, que resultou, em 2010, na renúncia do governador José Roberto Arruda (ex-DEM).

Durval se autoincriminou no curso da delação premiada e está condenado a penas privativas de liberdade que somam, até o momento, mais de 15 anos de prisão, além de duas penas de prestação de serviços à comunidade.

Ele teve também todos os bens tornados indisponíveis e foi condenado a devolver quantia supostamente desviada por ele e outros co-réus aos cofres do Distrito Federal.

Além das ações que tramitam na Justiça Federal, outras 23 ações penais foram movidas pelo Ministério Público do Distrito Federal, nas quais foram acusadas 35 pessoas pela prática de crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro, dispensa ilegal de licitação e outros crimes.

No total, segundo a Procuradoria, foram dez ações de improbidade administrativa e nove ações cautelares de indisponibilidade de bens contra parlamentares distritais.

    Leia tudo sobre: escândalo no DFdurval barbosa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG