Para Arruda, noite na prisão não representa derrota, apenas constrangimento

Na Superintendência da PF, em Brasília, governador afastado do Distrito Federal passou sua primeira noite preso

Gustavo Gantois, iG Brasília |

Extremamente abatido e insone. É dessa forma que os assessores que tiveram acesso a José Roberto Arruda relatam a primeira noite do governador afastado do Distrito Federal na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília.

Ainda usando a mesma roupa que vestia quando chegou no final da tarde desta quinta-feira à sede da PF, Arruda teve encontros com seus advogados, Nélio Machado e José Gerardo Grossi, e com o secretário de Obras do DF, Alberto Fraga. Arruda também teve contato com sua mulher, Flávia. Por telefone, os dois se falaram por cerca de 15 minutos à noite, mas ele preferiu que ela não fosse visitá-lo.

Também na quinta-feira, um boato de que o governador afastado teria pedido pizza para jantar causou a revolta de seus advogados. Isso não ocorreu. Os policiais que estavam de plantão é que encomendaram a pizza. O governador preferiu não comer, relatou Nélio Machado.

Praticamente hospedado no gabinete da diretoria do Instituto Nacional de Criminalística, localizado ao lado do prédio principal da PF, Arruda contou apenas com um sofá para passar a noite. Com a confirmação de que seu habeas-corpus foi negado pelo Supremo Tribunal Federal, a PF já avisou a Arruda que ele teria à disposição uma sala mais ampla, chamada de Sala do Estado-Maior, reservada para autoridades.

Na manhã desta sexta-feira, o chefe da Casa Militar do Distrito Federal, coronel Ivan Gonçalves da Rocha, visitou Arruda. Rocha disse que o governador não conseguiu dormir durante a noite. Ninguém consegue dormir nestas condições, disse o coronel. O governador está sofrendo, assim como toda a sua família e as pessoas que o assessoram. A gente precisa lembrar que ele é a segunda autoridade do Estado, após o presidente.

Para o secretário Alberto Fraga, Arruda está calmo e sereno, o suficiente para afirmar que sua prisão não foi uma derrota, foi um constrangimento. Fraga não quis dizer se o governador afastado teria roupas sobressalentes para o caso de passar mais uma noite na PF. Mas com a decisão do ministro Marco Aurélio Mello de manter a prisão até após o Carnaval, esse é um procedimento que será agilizado.

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG