Oposição quer acompanhamento do MP no retorno dos trabalhos da Câmara do DF

Brasília - A líder do PT na Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputada Érika Kokay, quer o acompanhamento de promotores do Ministério Público do Distrito Federal no retorno dos trabalhos da Casa na próxima segunda-feira (11).

Agência Brasil |

Segundo a deputada distrital, o pedido foi feito na última sexta-feira (8). O motivo é evitar, de acordo com ela, o uso de recursos públicos para levar à Câmara Legislativa manifestantes à favor do governador José Roberto Arruda, investigado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. A acusação é de envolvimento em esquema de pagamento de propina para parlamentares da Câmara Distrital e assessores do governo.

Isso aconteceu no ano passado. Não podemos permitir esse uso da máquina pública, disse a deputada. Ainda não houve resposta do Ministério Público sobre o pedido.

Kokay lembrou que também na próxima segunda-feira será feito o pedido de afastamento do presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente (sem partido). Prudente foi flagrado em vídeo colocando dinheiro, do suposto esquema de propina, nas meias. A ideia é que o pedido de afastamento seja votado no mesmo dia.

O deputado distrital recusou o pedido feito por seus colegas da Mesa Diretora para se afastar do cargo enquanto a Casa investiga o esquema de pagamento de propina. Prudente se licenciou do cargo depois do início da Operação Caixa de Pandora.

O pedido para que não voltasse a assumir a presidência da Câmara Legislativa foi feito pelos deputados distritais Wilson Lima (PR), Mílton Barbosa (PSDB) e Cabo Patrício (PT), membros da mesa diretora, em uma reunião informal na tarde da última sexta-feira.

Leia mais sobre: Operação Caixa de Pandora

    Leia tudo sobre: arrudaescândalo no dfjosé roberto arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG