OAB-DF irá à Justiça se deputado investigado assumir presidência da Câmara

A OAB no Distrito Federal prometeu, nesta segunda-feira, ir à Justiça caso algum deputado investigado pela Polícia Federal no inquérito da operação Caixa de Pandora assuma a presidência da Câmara Legislativa do DF. O deputado Leonardo Prudente renunciou à direção da Casa nesta segunda.

iG Brasília |


Um dos investigados, Prudente foi filmado pelo ex-secretário de Relações Institucionais do governo, Durval Barbosa, colocando maços de dinheiro nos bolsos do paletó e nas meias ( veja as imagens aqui ).

Não podemos aceitar que deputado citado na operação queira presidir a Câmara Distrital e, por consequência, o processo de impeachment, afirmou Francisco Caputo, presidente da OAB-DF. Caputo diz que é necessário um nome isento para conduzir o processo de impeachment do governador José Roberto Arruda.

Em dezembro do ano passado, pressionado pelo DEM, Prudente pediu o afastamento da legenda e do cargo de presidente da Câmara, por um prazo de 60 dias. Mas em menos de um mês ele voltou à presidência, sem comunicar à Mesa Diretora. A oposição acusava o deputado de manobrar a favor do governador Arruda.

Além de Leonardo Prudente, sete deputados e dois suplentes são citados de alguma forma nas investigações da Polícia Federal: deputados Aylton Gomes, Benedito Domingos, Benício Tavares, Eurides Brito, Júnior Brunelli, Leonardo Prudente, Rogério Ulisses, Roney Nemer e os suplentes Berinaldo Pontes e Pedro do Ovo.

Leia mais sobre:  Escândalo do DF

    Leia tudo sobre: arrudadistrito federaloab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG