OAB pede bloqueio de bens de Arruda

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ingressou nesta sexta-feira com uma ação na Justiça Federal pedindo o bloqueio dos bens do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, e dos oito deputados distritais envolvidos no suposto mensalão do DEM.

Agência Estado |

    O inquérito da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal aponta o governador como chefe de um esquema de corrupção que arrecadava propina entre empresas contratadas pelo governo para ser distribuída a aliados.

    Arruda responde a três processos de impeachment na Assembleia Legislativa do DF, e os deputados respondem a processo por quebra de decoro parlamentar.

    Segundo o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, a ação não significa um prejulgamento, mas sim uma questão de zelo. "Temos que zelar para o retorno à sociedade daquilo que eventualmente foi subtraído dela. Não estamos julgando, mas em havendo desvio de recursos, deve ser devolvido à sociedade aquilo que foi retirado dela. O bloqueio serve para que eles (acusados) não possam alienar esses bens no curso das investigações", disse Ophir Cavalcante.

    Ele afirmou ainda que a OAB estuda agora como pedir à Justiça o afastamento de Arruda do cargo de governador, enquanto durarem as investigações

    Na quinta-feira, a Polícia Federal prendeu o conselheiro do Metrô de Brasília, Antonio Bento da Silva, em flagrante, após ele tentar subornar o jornalista Edson dos Santos, conhecido como o "Sombra", amigo do ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, principal delator do Mensalão do DEM.

    O objetivo era fazer com que Sombra convencesse Durval a dar declarações favoráveis ao governador, em seu depoimento na PF. O presidente da OAB avalia que essa tentativa de suborno sugere que pessoas ligadas ao governador podem estar tentando atrapalhar as investigações.

    "Com as novas provas trazidas, como o bilhete do Arruda, envolvendo o jornalista Sombra, que foi divulgado pela imprensa, a Ordem já está estudando uma nova medida judicial para pleitear o afastamento do governador. Essa medida judicial dependerá dos elementos probatórios, mas já há um link maior que o governador estaria obstruindo as investigações", afirmou Cavalcante.

    Leia mais sobre: escândalo no DF

      Leia tudo sobre: arrudamensalãooab

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG