Ministério Público quer impedir deputados suspeitos de analisar denúncia contra Arruda

O Ministério Público do Distrito Federal entrou com ação civil pública para impedir que os deputados distritais suspeitos de participar do esquema de corrupção na capital analisem os pedidos de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido) que tramitam na Câmara Legislativa. O MP pede para que os suplentes sejam convocados, desde que também não sejam citados no caso.

Agência Brasil |

A ação é contra a Câmara Legislativa e os distritais Aylton Gomes (PR), Benedito Domingos (PP), Benício Tavares (PMDB), Eurides Brito (PMDB), Júnior Brunelli (PSC), Leonardo Prudente (sem partido), Rogério Ulysses (sem partido), Rôney Nemer (PMDB) e os suplentes Berinaldo Pontes (PP) e Pedro do Ovo (PRP) ¿ todos citados no inquérito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, em andamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Dos citados na ação do MP, Eurides Brito é a única que integra uma das comissões responsáveis pela análise dos três processos de impeachment de Arruda. Ela fez parte da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que vai analisar a constitucionalidade dos pedidos. Eurides aparece em um dos vídeos obtidos pela Polícia Federal na Operação Caixa de Pandora colocando em uma bolsa dinheiro do suposto esquema de propina.

O juiz Vinicius Santos, da 7ª Vara de Fazenda Pública, deu prazo até três dias para que a Câmara Legislativa preste esclarecimentos sobre o assunto para tomar decisão em relação ao pedido do Ministério Público.

Leia também:

Leia mais sobre: Escândalo no DF

    Leia tudo sobre: arrudadistrito federalescândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG