Manifestantes tentam invadir Câmara e tumulto deixa feridos

Tumulto ocorre em meio à eleição indireta para governador do Distrito Federal

Severino Motta, iG Brasília |

Um grupo de cerca de 30 estudantes tentou invadir a Câmara de Brasília, onde acontece a eleição indireta para o governo do Distrito Federal. Apesar da ação, foram rapidamente rechaçados pela Polícia Militar. Houve princípio de tumulto, que deixou quatro manifestantes, dois policiais e um segurança da Câmara feridos.

Solon Nicolas, estudante de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UNB), foi encaminhado ao Hospital de Base de Brasília. Outros dois manifestantes estão no hospital Santa Helena, com escoriações. Um deles, Gabriel Soares, estudante de antropologia da UNB, levou pontos na cabeça, nuca e pernas. Márcio Freitas Filho, advogado voluntário do movimento Fora Arruda!, de 25 anos, está com escoriações no rosto e na barriga, mas não precisou de atendimento médico.

O segurança da Câmara teve uma fratura na perna direita. Outros dois manifestantes foram encaminhados à Delegacia de Repressão a Pequenas Infrações.

Há cerca de 250 policiais do lado de fora da Câmara, comandados pelo coronel da Polícia Militar Silva Filho - o mesmo que estava à frente da operação policial que reprimiu manifestantes em dezembro. 

A tentativa de invasão se deu na entrada secundária que está situada ao lado direito da fachada do prédio da Câmara. Se tivessem conseguido pular o portão, cerca de 20 policiais esperavam os manifestantes do lado de dentro.

Fora da Câmara são cerca de 200 manifestantes. Além de estudantes há pessoas ligadas a Centrais Sindicais, partidos de esquerda e cidadãos contrários à eleição indireta e favoráveis à intervenção no Distrito Federal.

Há também grupos que defendem a diversidade sexual e um grupo de cegos que pede ao novo governador, que deve ser eleito nas próximas horas, inclusão em projetos sociais.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG