Investigados no DF têm bens bloqueados

Decisão da Justiça atinge deputada Eurides Brito (PMDB) e ex-deputado Júnior Brito (PMDB), envolvidos no "mensalão" do DEM

Agência Estado |

A Justiça do Distrito Federal bloqueou nesta sexta-feira os bens da deputada distrital Eurides Brito (PMDB) e do ex-deputado Júnior Brunelli (PSC), investigados por suposto envolvimento no esquema do "mensalão" do DEM em Brasília. A decisão foi tomada pelo juiz Álvaro Luís Ciarlini, da 2ª Vara da Fazenda Pública. No dia 22 de abril, o mesmo juiz decretou a indisponibilidade do patrimônio de Leonardo Prudente, que ficou conhecido como "deputado da meia".

Os três aparecem em vídeos, gravados em 2006, recebendo dinheiro de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do DF e delator do esquema de corrupção no governo. Em seu despacho, o juiz Ciarlini atende ao pedido do Ministério Público para bloquear os bens. "Não se pode negar a existência de indícios da prática de atos ímprobos por parte da demandada, valendo lembrar que tais eventos foram fartamente divulgados pela mídia escrita, falada e televisionada, sendo hoje notórios e de domínio público", afirmou em relação a Eurides. O mesmo argumento foi usado o caso de Brunelli.

Para o MP, a deputada tem de devolver R$ 4,3 milhões aos cofres públicos, enquanto o ex-deputado, R$ 5,5 milhões. Brunelli e Leonardo Prudente (suspeito de receber R$ 6 milhões) renunciaram aos respectivos mandatos para evitar um processo de cassação. Eurides preferiu enfrentar a investigação do Conselho de Ética da Câmara Legislativa.

    Leia tudo sobre: Escândalo no DF

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG