Habeas corpus de Arruda pode ser votado em 30 dias

Advogados admitiram que o julgamento do mérito pelo STF pode demorar. Por isso, estudam novas medidas judiciais para tirar o governador licenciado da prisão.

iG Brasília |

Em visita do governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, o advogado José Gerardo Grossi afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar o mérito do pedido de habeas corpus em favor do governador em 20 ou 30 dias.

Nesta sexta-feira, o ministro do STF Marco Aurélio Mello negou o habeas corpus em caráter liminar, mas o mérito será submetido ao plenário do Supremo. "É um trâmite normal", garantiu Grossi.

Segundo Grossi, temendo a demora, a defesa do governador estudará a adoção de medidas judiciais que possam suspender a prisão dele, decretada na última quinta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). "Não podemos apostar tudo numa ficha só", disse Grossi.

O STF aguarda manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), para onde foi encaminhada a decisão do ministro. Após parecer da PGR, o plenário do Supremo poderá julgar o mérito do pedido de habeas corpus.

O advogado informou que Arruda está abatido. Seu estado de saúde tem sido acompanhado por médico, que o visita diariamente.

Governador segue preso

Na tarde de sexta-feira, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter preso o governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM).

A defesa de Arruda havia entrado com pedido de habeas-corpus no STF na noite de quinta-feira, depois de o Superior Tribunal de Justiça (STJ), por 12 votos a dois, mandar prender o governador e tê-lo afastado do cargo.

Com a decisão do STF, o governador deve passar o carnaval preso . Isso porque sua defesa já avisou que esperará o julgamento do mérito do caso, quando os outros 10 ministros do STF decidirão se mantêm ou derrubam a decisão de Marco Aurélio Mello.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também:


    Leia tudo sobre: arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG