Executiva vai barrar candidatura do DEM ao governo do Distrito Federal

Segundo o deputado Ronaldo Caiado (GO), que faz parte da Executiva, o partido não aceitará nenhuma candidatura

Severino Motta, iG Brasília |

A Executiva Nacional do DEM vai barrar a candidatura do ex-deputado Osório Adriano na eleição indireta para escolha de um governador interino para o Distrito Federal. Segundo o deputado Ronaldo Caiado (GO), que faz parte da Executiva, o partido não aceitará nenhuma candidatura. "Vamos deixar o partido fora disso, não aceitaremos candidatura e a do Osório será barrada. Não queremos nos envolver agora", disse.

Osório foi escolhido nesta manhã pelo diretório do DEM no Distrito Federal. Ele chegou a disputar a indicação para concorrer à eleição com o deputado federal Alberto Fraga, ex-secretário de Transportes no governo de José Roberto Arruda.

Com o impedimento do DEM, somente a candidatura do governador interino do Distrito Federal, Wilson Lima (PR), está certa.

O ex-presidente do Tribunal de Contas do DF, Paulo César Ávila, que seria o candidato do PSC também desistiu de se lançar na disputa. "Até esta manhã estava convencido de que deveria sair. Após conversas com colegas resolvi desistir e o partido entendeu isso", explicou.

PT e PTB, por sua vez, deixaram para esta quarta-feira a decisão sobre o lançamento de uma candidatura. O PT se reúne no início da tarde para tentar convencer o ex-deputado Sigmarina Seixas a disputar o pleito. O PTB relegou para a Executiva Nacional da sigla a decisão de lançar ou não um nome na disputa.

Antes da decisão, a direção dos dois partidos deve se encontrar com o PMDB, que não colocou nomes na disputa pelo governo. Ao contrário, tem buscado uma composição.

A eleição no DF acontece no dia 17, mas acaba amanhã, no fim da tarde, o prazo para a inscrição de candidaturas. Como a eleição é indireta, quem escolhe o futuro governador são os deputados da Câmara Distrital.

Vida curta

O governador eleito no pleito indireto, que deve ficar à frente do governo até o dia 31 de dezembro, pode ter seu mandato drasticamente encurtado. O Supremo Tribunal Federal (STF) deve votar na semana seguinte à eleição o pedido da Procuradoria da República para a intervenção no DF.

Se aceita, o governador perde seu cargo e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva escolherá um interventor para administrar o DF até a posse do vencedor das eleições de outubro.

Protesto

Está marcado para esta quarta-feira de manhã um protesto do Movimento Fora Arruda. Os estudantes vão tentar inscrever como candidato para a eleição indireta um personagem chamado Toni Panetone, tendo como companheira de chapa Bezerra Dourada, numa referência aos ex-governadores José Roberto Arruda e Joaquim Roriz (PSC).

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG