Deputados tentam mudar regras de eleição no Distrito Federal

A dois dias da eleição do novo governador do Distrito Federal, os deputados distritais ainda tentam mudar as regras do jogo. O deputado Milton Barbosa (PSDB) pede que, até o dia da eleição, os partidos formem coligações, podendo substituir os candidatos a governador e a vice-governador por outros de partidos aliados. Hoje, as seis chapas que estão na disputa são puro sangue.

Agência Estado |

O presidente da Câmara Legislativa, deputado Cabo Patrício (PT), tem em mãos parecer da Procuradoria da Casa que nega o pedido de Milton Barbosa. "As coligações tão somente poderiam ter sido formadas até o ato de inscrição da chapa para concorrer às eleições indiretas", afirma resposta da procuradoria assinada pelo procurador legislativo Sidraque Anacleto.

Porém, como o questionamento de Milton Barbosa foi feito à Mesa Diretora, é a própria quem deve dar a resposta final, que não precisa necessariamente seguir o parecer da Procuradoria. Cabo Patrício afirma que não convocará reunião e defende que não haja alterações na regra a esta altura do jogo. "Se mudar, terá sido manobra casuística de quem tem interesse por trás", disse.

O regimento da Câmara, no entanto, permite que a reunião da Mesa Diretora seja convocada por dois terços dos membros. Formada por quatro parlamentares, três deles estariam interessados em mudar a regra para permitir coligação. São eles: Milton Barbosa (PSDB), Raimundo Ribeiro (PSDB) e Batista das Cooperativas (PRP).

Os três, até agora, apoiam a candidatura do governador interino Wilson Lima (PR). Cerca de sete dos 24 deputados dão como certo o apoio a Lima. Outros cinco ainda são considerados votos indefinidos. Os aliados do governador interino avaliam que, ao mudar o vice na chapa do PR, poderiam conseguir mais apoio entre esta turma.

Desistência

Hoje, o PV retirou a candidatura ao governo do Distrito Federal. Restam seis chapas na disputa. Destes, quatro saem na frente. O PT tem a maior bancada na Casa, com quatro deputados, e apoia Antonio Ibañez, ex-secretário de Educação. O deputado Reguffe, do PDT, pode apoiar o PT. A antiga base aliada está dividida entre Wilson Lima, Luiz Felipe Coelho, do PTB, e Rogério Rosso, do PMDB.

O deputado Aguinaldo de Jesus, do PRB, confidenciou a colegas que pode desistir da disputa. E José Messias de Souza, do PCdoB, não tem nenhum voto. A eleição será neste sábado, às 15h, e será realizada entre os 24 deputados distritais. O eleito tomará posse na segunda-feira.

Leia mais sobre escândalo no DF

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG