Conselho pede demissão de promotores envolvidos no mensalão do DF

Conselho vai abrir processo para demitir o ex-procurador-geral de Justiça Leonardo Bandarra e a promotora Déborah Guerner

Severino Motta, iG Brasília |

AE
A promotora Deborah Guerner

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu, por maioria, propor uma ação civíl pedindo a demissão do ex-procurador-geral de Justiça do Distrito Federal, Leonardo Bandarra, e da promotora Déborah Guerner. Os dois são acusados de envolvimento no caso que ficou conhecido como mensalão do DF.

A abertura de processo para a demissão é a pena máxima que o CNMP pode propor, uma vez que o órgão não tem poder para excluir os dois procuradores do Ministério Público. O Conselho ainda determinou a suspensão de 150 dias para Bandarra e 60 para Guerner.

Bandarra, ex-chefe do Ministério Público no Distrito Federal, teria vazado informações sigilosas, junto de Déborah Guerner, dando conta de operações contra o delator do mensalão, Durval Barbosa.

Segundo a acusação, os dois teriam recebido R$ 1,6 milhão pela informação, além de terem supostamente pedido uma mesada de R$ 300 mil para blindar o governo no MP. Os recursos para o pagamento, ainda segundo a acusação, seriam provenientes de desvios dos contratos de empresas de informática com o governo de Brasília.

O desvio dos recursos das empresas de informática deu origem ao chamado mensalão do DF. O desdobramento das investigações levaram à cadeia o ex-governador José Roberto Arruda.

    Leia tudo sobre: Mensalão do DFDéborah Guerner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG