Comissão da Câmara do DF volta a se reunir na quinta

A Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal divulgou nota à imprensa na qual informa que haverá reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na próxima quinta-feira, às 10h, para deliberar sobre a admissibilidade dos pedidos de impeachment do governador José Roberto Arruda (ex-DEM), que está afastado do cargo desde ontem à noite, quando foi preso pela Polícia Federal. Arruda é acusado de envolvimento na tentativa de suborno do jornalista Edson Sombra, uma das principais testemunhas do Mensalão do DEM e teve o pedido de prisão preventiva decretado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Agência Estado |

O governador também é acusado, em inquérito policial, de ser o mentor do esquema de corrupção no governo do Distrito Federal, que envolve secretários, assessores e deputados distritais.

Ainda na quinta-feira, segundo a Mesa Diretora da Câmara Legislativa, os deputados pretendem eleger o novo presidente da CPI da Corrupção, instalar a Comissão Especial (colegiado que analisará o mérito dos pedidos de impeachment), e discutir a situação dos oito deputados envolvidos no "Mensalão do DEM" que respondem a processo disciplinar na Casa. Os deputados voltaram do recesso parlamentar no início de janeiro, mas, desde então, as investigações estavam paradas.

"A Câmara Legislativa entende que não existem razões para decretação de intervenção federal, haja vista as medidas efetivadas no sentido de garantir o processo de apuração dos fatos e punição dos que comprovadamente estiverem envolvidos", afirma a nota, que segue o mesmo tom da declaração feita mais cedo pela deputada Érika Kokay (PT), de que, ao dar celeridade às investigações, a Câmara esvazia o pedido de intervenção federal no governo local.

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG