Cateterismo identifica lesão arterial em Arruda

O boletim médico divulgado nesta quainta-feira pelo Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF) informa que o cateterismo a que o governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) foi submetido esta manhã identificou uma lesão arterial.

Agência Estado |

AE
Arruda está preso

Arruda: 50% da artéria obstruída

Para o presidente do departamento de Ecocardiografia da Sociedade Brasileira de Cardiologia, José Luiz Barros Pena, ouvido pela Agência Estado, é possível afirmar que, por meio do cateterismo, foi identificada uma lesão.

No entanto, sem a identificação do grau dessa lesão, não é possível afirmar se a obstrução é uma irregularidade comum a pessoas de idade avançada. Segundo Pena, a obstrução passa a ser considerada significativa a partir dos 50%. Arruda completou 56 anos em janeiro.

Segundo o laudo oficial, foi identificada uma "lesão aterosclerótica obstrutiva no 1/3 proximal da artéria descendente anterior e a ventriculografia mostrou hipocinesia ântepro-lateral médio-apical de grau discreto". A "hipocinesia ântepro-lateral médio-apical de grau discreto" significa, segundo Pena, "que a lesão pode estar tendo repercussão no funcionamento do coração". Mas, a intensidade de "grau discreto" revela que o caso pode não ser tão grave.

O boletim médico sobre o estado de saúde do governador afirma que ele realizará, ainda hoje, uma ecocardiografia com estresse farmacológico para definir a opção terapêutica. Ou seja, Arruda fará um ultra-som do coração em estado de repouso e após medicação, que simulará uma situação de estresse, como, por exemplo, um exercício físico.

Se houver piora da repercussão da obstrução no funcionamento do coração de Arruda, após o uso dos remédios, os médicos, na avaliação de Pena, poderão optar por um tratamento que varia de prescrição de medicamentos até uma cirurgia.

José Roberto Arruda chegou ao hospital por volta das 7h10 de hoje, e passou por um cateterismo. Desde que foi preso pela Polícia Federal por tentativa de suborno a uma das testemunhas do "mensalão do DEM", esquema de corrupção que seria chefiado por ele, esta é a quarta vez que ele sai da prisão para se consultar com médicos.

Leia também:

Leia mais sobre escândalo no DF

    Leia tudo sobre: arrudaescândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG