Câmara do Distrito Federal adia eleição do novo presidente

O presidente interino da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Cabo Patrício (PT), remarcou a eleição do novo presidente da Casa para terça-feira, dia 2 de fevereiro. A sessão plenária agendada para realizar a eleição já estava em curso, nesta tarde, quando Patrício anunciou o adiamento.

iG São Paulo |

Pouco antes de informar a nova data, o deputado leu, em plenário, a notícia publicada no "Blog do Noblat", hospedado no site do jornal "O Globo", de que os deputados distritais pedem R$ 4 milhões ao governador José Roberto Arruda para votar contra os pedidos de impeachment dele. Segundo Patrício, não pode haver nova eleição enquanto a Casa estiver sob suspeição.

Os deputados petistas avaliam que a nota é "muito grave" e "denigre" ainda mais a imagem da Casa. Dez dos 24 deputados distritais, além de dois suplentes fora do exercício, são acusados, em inquérito da Operação Caixa de Pandora, de serem beneficiários do suposto esquema de arrecadação de propina, do qual Arruda seria chefe.

O deputado Chico Leite (PT) sugeriu que, diante da notícia, a eleição do novo presidente da Câmara legislativa, marcada para hoje, deveria ser adiada. "É gravíssima a denúncia, Ela coloca em xeque essa própria eleição. Dados como esses denigrem ainda mais a imagem desta casa legislativa. A direção desta casa precisa tomar providências", disse o deputado, que recebeu o apoio de Paulo Tadeu (PT), e da líder Érika Kokay (PT).

O deputado Geraldo Naves, do DEM, criticou o fato de Patrício ter lido a notícia em plenário e sugeriu que Cabo Patrício estava agindo em favor do jornalista Ricardo Noblat, de quem seria amigo. "Encaro a leitura desta nota como uma provocação. Sabemos que o senhor é amigo do Ricardo Noblat, frequenta a casa de Ricardo Noblat", disse. "Nós não fomos convocados para isto, para ser lida notícia de blog", continuou o deputado, que também é jornalista e ganhou fama na cidade quando apresentava o programa policial "Barra Pesada".

Suplentes convocados

A Mesa Diretora da Câmara convocou nesta quarta-feira oito suplentes, atendendo decisão judicial. O juiz Vinícius Silva, da 7ª Vara de Fazenda Pública, determinou a convocação do suplentes no lugar dos oito distritais investigados pela Polícia Federal, na Operação Caixa de Pandora. Os parlamentares são acusados de participar de um suposto esquema de corrupção no governo local.

O magistrado afastou esses deputados da análise dos processos de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido), que tramitam na Câmara. Os suplentes foram convocados para atuar apenas na análise desses processos.

De acordo com ato publicado no Diário da Câmara Legislativa, foram convocados os suplentes: Roberto Lucena (PMDB), Wigberto Tartuce (PMDB), Ivelise Longhi (PMDB), Raad Massouh (DEM), Gil Mesquita (DEM), Joe Valle (PSB), Mário da Nóbrega (PP) e Olair Francisco (PT do B). Eles têm até 48 horas para entrar em exercício.

*com informações da Agência Estado e Agência Brasil

Leia mais sobre: Escândalo no DF

    Leia tudo sobre: escândalo no df

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG