Arruda depõe como testemunha no Ministério Público de Brasília

O ex-governador do DF foi levado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre o envolvimento de Deborah Guerner

Severino Motta, iG Brasília |

O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda passou mais de duas horas prestando depoimento ao Ministério Público de Brasília. Convocado na condição de testemunha, Arruda foi chamado a prestar esclarecimentos sobre a participação da promotora Deborah Guerner no escândalo que ficou conhecido como o mensalão do DEM.

Arruda chegou à procuradoria por volta das 18 horas, em uma viatura da Polícia Federal. Ele já havia sido convocado outras duas vezes para prestar depoimento no caso, mas não compareceu. Por isso, o procurador Ronaldo Albo expediu um mandado de busca coercitivo.

A promotora Deborah Guerner passou a ser investigada após o delator do mensalão do DEM, Durval Barbosa, acusá-la de receber propina para blindar Arruda em investigações do Ministério Público. A acusação de Barbosa se estende a Leonardo Bandarra, o procurador-geral do DF, de quem Deborah era braço direito.

De acordo com o procurador-chefe Alexandre Camanho, Arruda respondeu a todas as perguntas e colaborou com as investigações. Fatos sobre o envolvimento de Deborah Guerner, segundo ele, foram esclarecidos. Arruda, segundo ele, ainda deve prestar novo depoimento, cuja data ainda será agendada.

O inquérito tramita no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região em segredo de Justiça e investiga indícios da prática de corrupção passiva. A investigação faz parte da Operação Caixa de Pandora, que investiga o esquema de corrupção no Distrito Federal que derrubou o governador José Roberto Arruda e o vice-governador Paulo Octávio.

    Leia tudo sobre: arrudapolícia federaldeborah guerner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG