Após nova denúncia, promotora ligada a mensalão do DEM é presa

Deborah Guerner responde também por formação de quadrilha. Ela e o marido deixaram o País sem autorização

Fred Raposo e Adriano Ceolin, iG Brasília |

AE
A promotora Deborah Guerner
A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira a promotora de Justiça Deborah Guerner e o marido, Jorge Guerner, na residência do casal, em Brasília. Ela é investigada por suposta ligação com o esquema de corrupção no governo do Distrito Federal, conhecido como Mensalão do DEM.

A autorização da prisão preventiva foi expedida pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), em razão de uma nova denúncia por formação de quadrilha e por a promotora ter deixado o País sem autorização.

O iG apurou que a promotora viajou para Milão, na Itália, com o marido para tratar de negócios particulares. Por ser investigada pela Operação Pandora, da Polícia Federal, Deborah não poderia se ausentar do País sem a autorização do Judiciário.

A viagem teria ocorrido em 7 de abril, um dia após o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) suspender julgamento contra Deborah e o ex-procurador-geral de Justiça do Distrito Federal Leonardo Bandarra.

Os dois foram afastados do Ministério Público do DF em dezembro de 2010, sob acusação de cobrar propina do governo em troca de proteção e de vazamento de informações sigilosas.

Deborah e o marido foram levados para a Superintendência da PF em Brasília. De acordo com a Polícia Federal, Deborah permanecerá na Superintendência por ter direito a prisão especial, enquanto Jorge Guerner seguirá para o presídio da Papuda.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG