ES: renovação de 50% em bancada na Câmara Federal

Apenas um dos deputados eleitos é da oposição, que perdeu uma cadeira; os outros nove são governistas

Manuela Andreoni iG Rio de Janeiro |

Metade da bancada do Espírito Santo na Câmara Federal se renova em 2011. Apenas um dos deputados eleitos é de oposição, que perde uma cadeira em relação à legislatura atual. Os outros nove são da coligação encabeçada pelo PT, da presidenciável Dilma Rousseff.

O PDT foi o partido que mais elegeu parlamentares, com três. O PSB, do governador eleito Renato Casagrande, e o PMDB, do atual governador Paulo Hartung, elegeram dois candidatos cada. Estão representados também PT, PSC e PSDB.

Entre os dez deputados que integrarão a bancada federal do ES, cinco são estreantes na Câmara Federal. Paulo Foletto (PSB) e Cesar Colnago (PSDB) deixam a Assembleia Legislativa do Estado rumo a Brasília. Dr. Jorge Silva (PDT) era vereador em São Mateus e já disputo a prefeitura do município sem sucesso.

Os políticos também serão acompanhados pelo ex-prefeito da Serra, Audifax (PSB) e pela cantora evangélica Lauriete, do PSC, casada com o deputado estadual Reginaldo Almeida, presidente do partido no Espírito Santo. Ela é a única sem experiência política.

Dos deputados que conseguira manter seus assentos na Câmara, Rose de Freitas (PMDB), que está em seu sexto mandato, é a capixaba mais antiga no posto. Iriny Lopes (PT) e Manato (PDT) vão para seus terceiros mandatos. Sueli Vidigal (PDT) e Lelo Coimbra (PMDB) foram reeleitos pela primeira vez.

Sueli Vidigal e Audifax disputaram votos na Serra, cidade onde mantêm suas bases eleitorais, e foram os mais votados. Esposa do prefeito de Serra, Sérgio Vidigal (PDT), Sueli teve uma das campanhas mais caras do Espírito Santo: gastou R$ 517 mil, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo as informações do tribunal, ela arrecadou R$ 375 mil – um gasto extra de R$ 142 mil.

Ela foi a campeã de denúncias de crimes eleitorais de acordo com Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES): 155. Já Audifax responde a um processo de improbidade administrativa e uma ação civil pública no Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES). Ele gastou R$ 101 mil, apesar de ter apenas R$ 83 mil em caixa, segundo as informações do TSE.

Ficaram de fora
A oposição foi abatida nas urnas e teve apenas um sobrevivente, o deputado Cesar Colnago. O PSDB perdeu dois deputados: Luiz Paulo Vellozo Lucas, que deixou de tentar a reeleição para disputar o governo do Estado, e Rita Camata, que perdeu a vaga numa corrida frustrada para o Senado – ela ficou apenas com 10% dos votos (375.510), em 3º lugar.

Camilo Cola (PMDB), investigado por corrupção eleitoral pelo Supremo Tribunal Federal (STF), não conseguiu a reeleição. Também sem mandato ficaram Jurandy Loureiro (PAN) e Capitão Assumção (PSB).

    Leia tudo sobre: Eleições ESCâmara Federalgovernistas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG