¿Empurrão¿ de Dilma é esperança de Iris

Peemedebista, em queda nas pesquisas, conta com presidenciável petista para se manter na disputa

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

Com a recente queda nas pesquisas e uma exposição maior na mídia de seus adversários nos debates, o candidato Iris  Rezende (PMDB) deve concentrar esforços em Goiânia, seu reduto eleitoral, e no Entorno de Brasília, terra natal do vice Marcelo Melo (PMDB).

A coligação ainda aposta na visita de Dilma a Goiânia, na próxima semana. Segundo o coordenador Sodino Vieira, a vinda estaria “quase fechada”. “Só falta definir o itinerário”, explicou.

A vinda da candidata do PT pode ajudar o peemedebista, pois as pesquisas apontam  de Dilma em Goiás.

Segundo a pesquisa Serpes/O Popular, divulgada no fim de semana, Dilma tem 49,8% das intenções de voto no Estado. José Serra (PSDB) tem 28,5% e Marina Silva tem 7,5%.

Os números de Dilma ajudam Iris, que aparece nos programas eleitorais como “parceiro” da petista.

Quanto à queda nas pesquisas, o coordenador de Iris argumenta que existe a probabilidade de que 60% dos votos podem migrar no último mês de campanha.

Sodino Vieira considerou “normal” a criação de um comitê de dissidentes do PMDB que apóiam Marconi. “Isso tem em todos os partidos. Mas não vamos usar estratégia de coronel para perseguir quem quer que seja”, acrescentou.

Na 5ª rodada da pesquisa Serpes, realizada entre 23 e 27 de agosto, Iris tinha 39,3% em em julho, passou a 39% no início de agosto e chegou a 33,1%.

Marconi (PSDB) tinha 46,1%, passando a 46,7% e chegando a 49,2% na última rodada. Vanderlan saiu de 6,5%, passou a 5,3% e chegou a 7,8%.

O tucano evita citar o apoio a Serra em eventos e na propaganda em rádio e TV. Vanderlan Cardoso (PR), embora apóie Dilma, não a utiliza nos materiais de campanha.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG