Em evento com aliados, Cabral chama Dilma de 'nossa presidente'

Gabeira faz corpo a corpo nas ruas e classifica de 'irresponsabilidade' adolescente morrer no Rio por falta de balão de oxigênio

iG Rio de Janeiro |

Divulgação
Governador Sérgio Cabral participou de almoço de adesão à sua campanha, em Madureira, na zona norte
Mesmo com o joelho operado, o governador e candidato à reeleição, Sérgio Cabral (PMDB), cumpriu agenda de campanha nesta segunda-feira (13). Pela manhã, participou da 15ª Rio Oil & Gas, no Riocentro, na zona oeste, e à tarde participou de almoço de apoio à sua candidatura em Madureira, na zona norte. Nos dois eventos, Cabral elogiou o presidente Lula. Diante dos apoiadores, pediu votos para os aliados e chamou a candidata do PT à Presidência. Dilma Rousseff, de "nossa presidente".

Na Oil & Gás, que reúne 1.300 empresas nacionais e estrangeiras expositoras da indústria de petróleo , Cabral chamou o presidente Lula de "referência da política internacional". Indagado sobre a emenda que divide igualmente os royalties do petróleo entre todos os estados, o governador afirmou que está convencido de que a medida não irá para frente, porque tem a certeza de que Lula vetará a proposta.

Ao deixar o evento, o governador confraternizou com o prefeito de Campos dos Goytacazes, Nelson Nahim (PR), irmão do ex-governador Anthony Garotinho (PR), rival de Cabral. Nahim assumiu a prefeitura depois que sua cunhada Rosinha Garotinho, ex-prefeita da cidade, foi afastada do cargo após ter o mandato cassado pelo TRE-RJ por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

O governador abraçou Nahim e afirmou que assinaria ainda nesta segunda os documentos referentes a uma parceria de R$ 50 milhões que vai garantir um complexo industrial na região norte do Estado.

Apesar dos abraços entre os políticos, Nahim afirmou que seu voto é do candidato do seu partido ao governo do Rio, Fernando Peregrino.

Depois da feira, Cabral seguiu para um almoço de apoio a sua campanha, organizado pela Associação Comercial do Mercadão de Madureira. No local, prometeu aos cerca de mil convidados presentes que vai ampliar a Via Light até o bairro, caso seja reeleito. A via faz a ligação entre o município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ao bairro da Pavuna, na Zona Norte.

No evento, Cabral disse que Lula foi o presidente "mais importante da história do Brasil". O peemedebista ressaltou as parcerias de seu governo com o federal e afirmou que Dilma, se eleita, dará continuidade aos projetos.

“Quando nós planejamos o PAC das Comunidades, a Dilma estava ao nosso lado”, disse o governador. “Por isso o povo do Rio de Janeiro está dando uma larga diferença de votos para a nossa presidente”, afirmou Cabral, sobre a vantagem da petista sobre o candidato José Serra (PSDB) nas pesquisas.

No encontro, o governador também pediu votos para um dos candidatos ao Senado de sua coligação, Jorge Picciani (PMDB), que o acompanhou no encontro junto com o senador Francisco Dornelles (PP). 

Gabeira faz corpo a corpo no Centro

Divulgação
Gabeira faz corpo a corpo no centro e mantém as críticas a Cabral
Pela manhã, o candidato do PV ao governo do Rio de Janeiro, Fernando Gabeira, aproveitou a caminhada que fez no centro do Rio para criticar a morte do adolescente Fábio de Souza do Nascimento, de 14 anos, no último dia 9 de agosto, devido à falta de balão de oxigênio.

Reportagem da "Revista Época" mostrou que a família do rapaz havia conseguido na Justiça o direito ao equipamento, mas não foi atendida. Segundo declararam, o motivo foi que União, estado e município do Rio ficaram discutindo de quem seria a responsabilidade por fornecer o produto. Fábio fez um transplante de medula há quatro anos e apresentou complicações pulmonares.

"Se fala tanto de cooperação entre Estado, governo federal e prefeitura, mas, nesse caso, a morte de um menino, fracassou ruidosamente", afirmou. "É uma irresponsabilidade. Acho que deveria haver um inquérito", disse o verde.

Gabeira também lamentou a morte da menina Thauane Tomaz de Almeida, de 12 anos, atingida por uma bala perdida na Favela Mandela, em Manguinhos, neste fim de semana, e ressaltou que na comunidade não há UPP. O candidato também critiou uma nova pane no metrô nesta segunda-feira, quando um trem enguiçou por volta das 7h na estação Carioca. Gabeira afirmou que a área de transportes é o "grande fracasso" do governo Cabral.

    Leia tudo sobre: eleições rjcabralgabeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG