Voluntária da equipe de McCain inventou ataque racista, diz polícia

Uma voluntária da campanha do candidato republicano à presidência John McCain admitiu que inventou ter sido vítima de um ataque racista, informou a polícia americana na sexta-feira.

AFP |

Ashley Todd, que é branca, foi acusada de fornecer informações falsas à polícia depois de ter denunciado um assalto, cometido por um corpulento homem negro, enquanto tirava dinheiro de um caixa eletrônico em Pittsburgh, Pensilvânia (leste), indicou a subchefe de investigações da Polícia local, Maurita Bryant.

"A senhora Todd declarou que havia inventado a história, que foi se agravando e fugiu de seu controle", explica Bryant no site da rede de televisão local WTAE. "Ela admitiu que não foi assaltada e que nunca existiu o tal agressor negro de 1,93 m de altura".

Na última quarta-feira, Todd, de 20 anos, apareceu na delegacia com um olho roxo e um ferimento em forma de 'B' invertido na bochecha, que afirmou ser um 'B' de Barack Obama, já que seu agressor seria um simpatizante do candidato democrata à Casa Branca.

Bryant disse ainda que Todd "contou ter sofrido de problemas mentais e que não se lembra como a letra 'B' invertida apareceu em seu rosto, (...) que ao se olhar no espelho conseguia ver corretamente".

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG