Saramago diz que chegada de Obama à política é uma revolução

LISBOA - O Prêmio Nobel de Literatura José Saramago considera que a chegada de Barack Obama à política americana é uma revolução, em entrevista publicada hoje no Diário de Notícias português, antes de sair o resultado das eleições presidenciais.

EFE |

"É uma revolução tal que, mesmo que Obama perca na última hora, nem assim deixaria de sê-lo, porque, no consciente e inconsciente coletivo e imaginário do americano, isso não tem volta, a não ser que ressuscitem rapidamente o Ku Klux Klan e o coloquem para funcionar em todas as cidades", disse o escritor português.

Saramago destacou que já teria sido uma revolução que o candidato democrata tivesse sido uma mulher - neste caso, Hillary Clinton -, mas, enfatiza, "agora, é um negro e casado com uma negra".

Além disso, desvinculou qualquer relação entre os atentados de 11 de setembro de 2001 e a chegada à Casa Branca de um político afro-americano.

Sobre sua idéia dos Estados Unidos, reconheceu que não é um país que lhe atraia de maneira especial, e disse que existem várias "Américas", que entendem a vida de forma muito diferente.

O escritor português afirmou também que, depois dos atentados terroristas de Nova York, a atuação da Polícia americana nas fronteiras passou a ser "de autêntica inquisição", razão pela qual não voltou ao país americano.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG