Sarah Palin se recusa a assumir a culpa pela derrota de McCain

Sarah Palin se recusou a assumir a culpa pela derrota do candidato republicano John McCain na eleição presidencial dos Estados Unidos, e conclamou os americanos a se unirem, em declarações divulgadas nesta quarta-feira pela rede CNN.

AFP |


A governadora do Alasca rejeitou a idéia segundo a qual McCain teria perdido a eleição depois de tê-la escolhido como companheira de chapa, apesar de pesquisas indicarem que ela teve, de fato, um impacto negativo na campanha do senador do Arizona.

"Não acho que minha presença seja mais importante que a crise econômica que abalou a América há dois meses, e que eu possa ser responsabilizada pela derrota de John McCain", declarou Palin nesta entrevista, concedida na noite de terça-feira.

Ela afirmou, no entanto, que se sua presença prejudicou de alguma forma a candidatura de McCain, ela lamentava.

"Acreditava que tinha chegado a hora dele. John McCain tem coragem, sabedoria e experiência. Com essa sabedoria que encarna, acho que ele teria sido a melhor alternativa. Porém, não foi a escolha que os americanos fizeram desta vez", comentou.

Sarah Palin, 44 anos, mãe de cinco filhos e que representa a ala mais conservadora do partido republicano, foi a primeira mulher candidata à vice-presidência dos Estados Unidos. Ela afirmou que a hora agora é de olhar para o futuro.

"Agora é hora de união. Os americanos precisam se unir e trazer suas contribuições, num momento em que um novo governo vai assumir", declarou, frisando que o partido republicano deve agora preparar as eleições de 2012.

"Se bem que o ano de 2012 parece tão longe que ainda nem sei o que farei", despistou Palin que, segundo alguns observadores, teria ambições presidenciais.

A campanha democrata

  • Barack Obama, o presidente com a proposta de "mudança"
  • Joe Biden, um veterano em temas de segurança nacional
  • Principais metas dos democratas nos EUA
  • A campanha de Obama em imagens
  • Relembre a campanha democrata; veja galeria de fotos

    Entenda

    Opinião

  • José Paulo Kupfer: Obama, um sumário executivo da nova economia
  • Nahum Sirotsky: Completa-se a revolução democrática
  • Caio Blinder: Parabéns, presidente Obama
  • Gerald Thomas: Obama é o novo presidente dos EUA
  • Jornal de debates: o que mudou com vitória de Obama?
  • Vitória de Obama sinaliza mudança em relações raciais

    Leia também:

    • Leia tudo sobre: eleições nos euaeuaobamasarah palin

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG