Republicanos respiram aliviados após desempenho de Palin em debate

SAINT LOUIS - A campanha republicana respira hoje aliviada após o bom desempenho de sua candidata à Vice-Presidência dos Estados Unidos, Sarah Palin, no debate contra o democrata Joseph Biden, embora sua atuação, segundo os analistas, não deverá ter grande impacto na corrida eleitoral.

EFE |

A maioria dos analistas considerou que Biden saiu vencedor do debate graças a seu amplo conhecimento sobre os assuntos públicos, de economia a política externa, e a sua capacidade de improvisar e responder com desenvoltura os argumentos de Palin.

Ao mesmo tempo, a governadora do Alasca superou as baixas expectativas criadas em torno dela e pareceu recuperar a confiança com o estilo coloquial que no passado serviu para aproximá-la do eleitorado.

Após o debate, os republicanos não esconderam sua satisfação. "Os dois se saíram bem, mas a vencedora foi Sarah Palin. Transmitiu uma imagem de pessoa genuína, uma mãe trabalhadora que ocupou posições executivas", disse à Agência Efe o senador republicano Kit Bond, do estado do Missouri, onde aconteceu o debate.

Os próprios democratas também deram crédito a Palin. "Ela foi muito encantadora", reconheceu a senadora Claire McCaskill, que ajudou Biden fazendo o papel de Palin nos treinos de dias antes do encontro.

"Ela fez um trabalho muito bom" demonstrando competência e preparo, disse a senadora à Efe, que ressaltou que, "no entanto, ela não foi muito detalhista".

Do mesmo modo, Bill Richardson, governador democrata do estado do Novo México, admitiu que o estilo populista e próximo ao eleitor funcionou para Palin, mas, para ele, ela "memorizou as coisas que tinha que dizer".

Ela foi muito bem, disse Richardson que, no entanto, acredita que a atuação de Palin não poderá recuperar a campanha de McCainn e previu que Obama continuará subindo nas enquetes.

Os analistas previam que uma atuação de Palin tão medíocre quanto a demonstrada em suas últimas entrevistas de televisão poderia afundar ainda mais a campanha de McCain, que nas pesquisas aparece atrás de seu adversário, o democrata Barack Obama.

No final, o debate tranqüilizou os conservadores, entre os quais surgiram vozes que pediam inclusive a retirada de Palin da candidatura, segundo James McCann, professor de política da Universidade Purdue, em Indiana.

Por isso, o debate tirou uma grande dúvida da mente da campanha republicana, que estava há uma semana na defensiva.

No entanto, a atuação de Palin não chegou a ser tão espetacular a ponto de ganhar adeptos e mudar a dinâmica na qual a campanha entrou em sua reta final, segundo McCann.

"McCain está perdendo terreno e acho que o debate não significará uma mudança", afirmou o professor.

Obama abre agora quase seis pontos de vantagem em relação a seu adversário nas intenções de voto a nível nacional e ultrapassou McCain em muitos estados considerados fundamentais para o resultado das eleições de 4 de novembro, segundo a página de internet RealClearPolitics, que faz compilações de enquetes.

"A crise (financeira) beneficia Obama simplesmente porque temos um presidente republicano", reconheceu o senador Bond.

A turbulência que os mercados enfrentam relegou a um segundo plano a política externa e a ênfase na integridade moral e na ética, que eram as áreas que davam vantagem a McCain, segundo os analistas.

O que os americanos querem agora é competência e alguém que possa lhes tirar da crise econômica. Nesse sentido, Biden demonstrou no debate que com seus 35 anos de experiência no Senado está muito mais preparado que Palin.

A campanha republicana deverá decidir agora como utilizar a governadora, se a lança em encontros com a imprensa no mês que antecede o pleito ou a mantém nos comícios como coadjuvante de McCain.

No debate, Palin disse que gosta de responder as perguntas difíceis "sem o filtro dos principais meios de comunicação".

"Prefiro falar aos americanos como acabamos de fazer", afirmou.

No entanto, ela não terá outra oportunidade para isso, já que debate de ontem foi o único entre os candidatos à Vice-Presidência.

Porém, a governadora aproveitou a ocasião para causar uma boa impressão aos que a assistiram, o que servirá para o resto da campanha e para sua futura vida política.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG