Republicanos lançam campanha para atrair partidários de Hillary

WASHINGTON - O Partido Republicano descobriu repentinamente uma heroína em Hillary Clinton e por isso lançou hoje uma propaganda agressiva para atrair os seguidores mais fiéis da senadora pelo estado de Nova York para o lado do candidato à Presidência americana John McCain.

EFE |

"Eu votarei em McCain porque é um candidato que está pronto para ser presidente desde o primeiro dia", disse à Agência Efe Silverio Salazar, um democrata hispânico do Colorado, por telefone.

A expressão de "estar pronto para a Presidência desde o primeiro dia" foi o lema da campanha de Hillary durante as eleições primárias democratas.

Assista ao vídeo abaixo:

A senadora suspendeu sua campanha em junho, mas ainda conserva, tecnicamente, centenas de delegados que conseguiu em sua briga como a primeira mulher com possibilidades sérias de chegar à Presidência dos Estados Unidos.

Imediatamente após o candidato democrata Barack Obama anunciar a escolha do senador Joe Biden como companheiro de chapa, a campanha de McCain lançou um anúncio de televisão em que lembra que Hillary "obteve 18 milhões de votos nas primárias".

"Mas não está na cédula presidencial", acrescenta o aviso. "Não está porque disse a verdade" com suas críticas à falta de experiência de Obama, diz a propaganda.

Salazar, que preside um grupo chamado Democratas por John McCain, repetiu o argumento. "Obama não está qualificado para ser presidente e, além disso, esqueceu os latinos. Hillary estava capacitada para ser presidente desde o primeiro dia", comentou.

A campanha de McCain lançou outro anúncio de televisão hoje no qual uma mulher, supostamente partidária de Hillary, afirma que ela votará em McCain e conhece "a muitos democratas que apoiaram a senadora e votarão" no republicano.

O esforço conta ainda com um possível apoio dos simpatizantes mais leais de Hillary, que se recusam a aceitar o resultado da disputa nas primárias.

"Em termos reais, é possível sentir que o partido se racha", disse Diane Mantouvalos, co-fundadora de uma organização pela Internet que sustenta que conta com 250 grupos opostos à candidatura de Obama.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG