Polícia prende jovens que ameaçavam matar Obama

Dois jovens neonazistas foram presos no Tennessee (sul dos Estados Unidos) por terem proferido ameaças de morte contra o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, segundo documentos da justiça dos quais a AFP obteve uma cópia nesta segunda-feira.

AFP |

De acordo com a confissão judicial, os dois planejavam matar 102 negros e foram detidos em Alamo, na quarta-feira passada, por "ameaças a um candidato à presidência do país, posse ilegal de arma de fogo" e por "complô para roubo de arma".

Já ameaçado anteriormente, o candidato democrata vem sendo objeto de fortes medidas de proteção pelo serviço secreto.

Daniel Cowart, de 20 anos, e Paul Schlesselman, 18, planejavam assaltar uma loja de armas para matar a tiros 88 negros e decapitar outros 14.

"Pela minha experiência, os números 88 e 14 têm um significado particular dentro do movimento da 'supremacia branca'", assinalou o agente federal Brian Weaks.

"Eles afirmaram que seu ato final de violência seria uma tentativa de matar o candidato à presidência Barack Obama", acrescentou.

A equipe de campanha do senador por Illinois não cometou a prisão dos dois jovens.

Cowart, nascido em Bells, Tennessee, e Schlesselman, do Arkansas, se conheceram pela internet há um mês e compartilham "crenças muito fortes a respeito da 'supremacia branca' e opiniões neonazistas", declarou Weaks perante a corte.

Cowart tinha um rifle e duas pistolas, ambas roubadas de seu avô. Schlesselman possuía uma submetralhadora e um revólver, que admitiu ter pego do pai sem sua permissão.

Os dois jovens planejavam ainda roubar mais um rifle de uma loja de armamento em Jackson, Tennessee, além de cometer uma série de assaltos para financiar seus planos.

"Schlesselman afirmou que eles planejavam dirigir seus carros o mais rápido possível em direção a Obama, atirando nele da janela", relatou Weaks.

"Os dois indivíduos disseram ainda que se vestiriam com ternos brancos e usariam cartolas durante a tentativa de assassinato. Ambos também declararam saber que morreriam e que queriam mesmo morrer durante seu ato".

"As alegações deste processo criminal são sérias e serão tratadas como tal", indicou Lawrence Laurenzi, advogado da União no distrito oeste do Tennessee.

"As pessoas podem ter certeza de que as forças de segurança federais, estaduais e locais estão trabalhando sistematicamente par investigar e processar as atividades descritas", concluiu.

A justiça de Memphis informou que, pouco antes de serem presos, Cowart e Schlesselman haviam comprado comida, fios de nylon e óculos de neve. Ele também tentaram arrombar uma casa para roubar, no dia 21 de outubro, mas fugiram ao ver dois carros na garagem e um cachorro.

jkb/ap/LR

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG