Obama se recusa a adiar debate com McCain

FLÓRIDA - O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, rejeitou nesta quarta-feira o pedido de seu oponente na corrida eleitoral, o republicano John McCain, para que aceitasse o adiamento do debate que ambos protagonizarão sexta-feira, já que agora é mais importante do que nunca que os americanos ouçam os presidenciáveis.

Redação com AP |

No começo da tarde desta quarta-feira, o senador republicano John McCain anunciou que vai suspender sua campanha à presidência dos Estados Unidos por causa da crise econômica que atinge o país. McCain também pediu que o primeiro debate presidencial, marcado para esta sexta-feira , fosse adiado.

"Acredito que este é exatamente o momento que o povo americano deve ouvir das pessoas que serão responsáveis por lidar com a crise daqui 40 dias. É parte do trabalho do presidente fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo", afirmou Obama.

O democrata explicou também que ligou na manhã desta quarta-feira para John McCain, com o intuito de propor uma declaração conjunta dos candidatos sobre a crise financeira.

Segundo Obama, McCain concordou com a sugestão de uma declaração conjunta, mas quebrou o acordo ao anunciar a suspensão de sua campanha. "Nossos assessores ainda estão trabalhando na declaração que deveria ser feita em conjunto", disse.


Obama disse que "debate é mais importante do que nunca" / AP

McCain diz que vai suspender a campanha

Em um rápido pronunciamento, McCain pediu que o primeiro debate presidencial entre ele e o senador democrata Barack Obama, marcado para sexta-feira , seja adiado.

McCain disse que suspenderá sua campanha na quinta-feira e seguirá para Washington, onde o governo americano tenta convencer o Congresso a aprovar um pacote de ajuda de US$ 700 bilhões para o mercado financeiro.

"A América enfrenta uma crise devastadora nesta semana. Se não fizermos nada, nosso país sofrerá um impacto muito grande. Não podemos deixar isso acontecer", afirmou McCain.


O senador John McCain anunciou que vai suspender sua campanha / AP

Crise faz Obama disparar

Pela primeira vez, o candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, apareceu nas pesquisas com uma clara vantagem sobre o republicano John McCain, às vésperas do primeiro debate eleitoral entre os dois adversários.

Em uma pesquisa de hoje do jornal "The Washington Post" e da rede de TV "ABC", Obama tem nove pontos a mais que o senador pelo Arizona (52% contra 43%) entre os eleitores preocupados com a crise financeira do país.

Independentemente das pesquisas, parece claro que a crise econômica virou uma aliada das aspirações presidenciais de Obama.

A situação econômica, que já aparecia como o assunto prioritário dos eleitores, ganhou ainda mais destaque: 50% dos eleitores acham que agora o tema é o que mais lhes preocupa, contra 37% há duas semanas. Além disso, a maioria (53%) diz confiar mais em Obama que em McCain como um líder capaz de lidar com a pior crise dos últimos 80 anos.

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG