Obama sai reforçado das primárias mas Hillary não joga a toalha

Barack Obama aumentou suas chances de obter a indicação democrata para a eleição presidencial de novembro após as primárias da Carolina do Norte e de Indiana, mas Hillary Clinton de recusa a jogar a toalha e manteve nesta quarta-feira sua campanha na Virgínia Ocidental.

AFP |

"Está no forno", intitulou nesta quarta-feira o New York Post após a derrota na noite de terça-feira por 14 pontos de Hillary na Carolina do Norte (sudeste) e sua vitória apertada por dois pontos em Indiana (norte).

A Carolina do Norte era o último grande estado em jogo no processo de escolha do candidato democrata. Restam apenas seis consultas até 3 de junho, entre elas uma primária na próxima terça-feira na Virgínia Ocidental (leste).

Também está difícil para a pré-candidata manter suas ambições presidenciais.

A senadora retirou no último mês 6,4 milhões de dólares de seu próprio bolso para sua campanha para a Casa Branca, disseram assessores nesta quarta-feira, em mais um sinal de suas escassas chances nas eleições presidenciais.

Hillary havia liberado para sua campanha cinco milhões de dólares no dia 11 de abril, onze dias antes de sua vitória nas primárias da Pennsylvania. Também injetou outro milhão no dia 1º de maio e depositou mais 425.000 dólares na segunda-feira passada, disseram seus assessores.

Pouco depois da meia-noite de terça-feira e após várias horas de tensão, Hillary Clinton foi declarada vencedora em Indiana. Mas a diferença foi muito pequena: 51% a 49%. Na Carolina do Norte, no entanto, Obama obteve uma contundente vitória de 56% a 42% sobre a pré-candidata.

O triunfo de Obama já fez com que se sentisse próximo de se tornar o candidato democrata para disputar a presidência com o republicano John McCain na eleição presidencial de novembro.

"Esta noite ficamos a apenas 200 delegados de assegurar a indicação democrata para nos tornarmos presidente dos Estados Unidos", disse o senador pelo Illinois, de 46 anos.

"Todos nós pensamos que este é um momento decisivo em nossa história, enfrentamos duas guerras, uma economia estagnada e um planeta em perigo: não podemos dar a John McCain a chance de servir a um terceiro mandato de George W. Bush", acrescentou.

Hillary comemorou sua vitória em Indiana e se declarou em uma corrida "a todo vapor para a Casa Branca".

"Hoje tiramos o empate e, graças a vocês, seguimos a todo vapor para a Casa Branca", disse Hillary a seus militantes, lembrando que Obama havia afirmado que esse estado desempataria a batalha entre ambos.

Obama confirmou sua vantagem sobre Hillary em termos de número de delegados na convenção do Partido Democrata, que no final de agosto designará o candidato.

Mas com a derrota em Indiana pode ter perdido a luta para obter o apoio dos 800 "superdelegados" que definirão a apertada disputa democrata.

O senador contaria com 1.842 delegados contra 1.692 de Hillary, segundo o site independente RealClearPolitics. Isto está de qualquer maneira distante do mínimo de 2.025 delegados indispensável para obter a candidatura.

As primárias de terça-feira distribuíam 72 delegados por Indiana e 115 pela Carolina do Norte.

As pesquisas realizadas na terça-feira revelaram uma profunda divisão entre os democratas: apenas 48% dos seguidores de Hillary em Indiana, e 45% na Carolina do Norte, estão dispostos a votar em Obama caso seja escolhido para enfrentar o republicano John McCain na eleição presidencial de 4 de novembro.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG