Washington, 22 out (EFE).- O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, recebeu na semana passada 18% mais cobertura midiática que seu adversário, o republicano John McCain, segundo um relatório divulgado hoje pela empresa de análise LexisNexis.

Apesar do senador republicano ter recebido uma maior cobertura da imprensa na semana passada em comparação com semanas anteriores, não chegou a superar a cobertura midiática obtida por Obama, segundo o LexisNexis.

A empresa, que começou a rastrear a cobertura midiática das eleições em julho, informou que o senador Obama foi foco de 10.454 artigos na semana passada, o que supõe "o maior volume de qualquer candidato em uma só semana".

Segundo o estudo, Obama manteve "uma clara vantagem" sobre McCain em relação ao tipo de cobertura jornalística. Do total dos artigos, 37% tinham idéias positivas, 30% falavam de forma neutra e outros 33% tinham tom negativo.

Dos 8.834 artigos que citavam McCain, 31% eram positivos, 32% neutros e 37% negativo.

A cobertura em torno da candidata republicana à Vice-Presidência, a governadora Sarah Palin, continua caindo.

O relatório diz que quando surgiu seu nome, Palin gerou uma "quantidade em massa" de cobertura midiática, mas agora "continua recebendo cada vez menos cobertura" conforme passa o tempo.

Segundo o relatório, Palin foi foco de 2.085 artigos na semana passada, uma queda de 20% em relação à semana anterior.

Embora Palin continue gerando mais cobertura em comparação com o vice democrata, Joe Biden, o tom da mídia frente aos candidatos à Vice-Presidência dos EUA "continua sendo muito similar", segundo o centro de pesquisa.

Dos 2.085 artigos sobre Palin na semana passada, 17% eram em tom positivo, 63% neutros e 20% tinham caráter negativo.

Dos 482 artigos sobre Biden no mesmo período, 17% foram positivos, também 17% negativos, e 66% neutros. EFE mp/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.