Saiba tudo sobre a corrida à Casa Branca http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoeseua/2008/10/06/obama_e_mccain_se_preparam_para_novo_debate_na_tv_1979862.html target=_topComeçam os preparativos para novo debate na TV http://ultimosegundo.ig.com.br///multimidia//galeria_de_fotos/2008/10/06/novo_debate_na_tv_167955.html target=_topVeja a galeria de fotos dos preparativos para o debate " / Saiba tudo sobre a corrida à Casa Branca http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoeseua/2008/10/06/obama_e_mccain_se_preparam_para_novo_debate_na_tv_1979862.html target=_topComeçam os preparativos para novo debate na TV http://ultimosegundo.ig.com.br///multimidia//galeria_de_fotos/2008/10/06/novo_debate_na_tv_167955.html target=_topVeja a galeria de fotos dos preparativos para o debate " /

Obama enfrenta McCain pela 2ª vez na TV em seu melhor momento nas pesquisas

No dia em que Barack Obama, candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, e John McCain, candidato pelo Partido Republicano, enfrentam-se pela segunda vez, algumas pesquisas de opinião foram divulgadas e colocam Obama à frente de McCain. http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoeseua/ target=_topSaiba tudo sobre a corrida à Casa Branca http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoeseua/2008/10/06/obama_e_mccain_se_preparam_para_novo_debate_na_tv_1979862.html target=_topComeçam os preparativos para novo debate na TV http://ultimosegundo.ig.com.br///multimidia//galeria_de_fotos/2008/10/06/novo_debate_na_tv_167955.html target=_topVeja a galeria de fotos dos preparativos para o debate

Redação com agências internacionais |

Obama aparece com 8 pontos de vantagem em relação ao adversário republicano (50% contra 42%) de acordo com a análise diária do Gallup, no 10º dia consecutivo em que o democrata conta com uma "vantagem importante por um período tão longo", acrescentou a nota do instituto.

Outras instituições que publicam sondagem diárias mostravam resultados similares aos do Gallup. No Rasmussen, Obama tem oito pontos de vantagem (52% a 44%); Diego/Hotline, seis pontos (47% a 41%); e no GW/Battleground, sete pontos de diferença para o democrata (50% a 43%).

AFP
Palco em que será realizado debate nesta noite é preparado
Palco em que será realizado debate nesta noite é preparado

A pesquisa divulgada pelo jornal The Wall Street Journal e pela rede NBC coloca Obama com uma vantagem de seis pontos percentuais em relação ao republicano. Segundo a pesquisa, realizada no último fim de semana, 49% dos 658 eleitores consultaram disseram apoiar Obama, enquanto 43% preferiram McCain.

Apenas na pesquisa divulgada pela Reuters/C-SPAN/Zogby, Obama aparece tecnicamente empatado com McCain. O democrata tem uma pequena vantagem de três pontos percentuais sobre o republicano John McCain (48% a 45%), a pesquisa, porém, tem margem de erro de três pontos percentuais.

Estados-chave

AFP
Obama segue para o Tennesse
Obama segue para o Tennesse
Além disso, Obama também ganha terreno em quatro disputados Estados do país, segundo pesquisa CNN/Opinion Research Corporation divulgada nesta terça-feira.

Em Wisconsin (norte), a vantagem de Obama cresceu de três para cinco pontos percentuais desde meados de setembro, de acordo com a pesquisa.

Em New Hampshire (leste), a vantagem de seis pontos em setembro subiu para oito, enquanto que no Estado tradicionalmente republicano da Carolina do Norte, os dois candidatados empatam em 49%.

No Estado-chave de Ohio (leste), Obama mantém uma distância de três pontos sobre McCain, um a mais que em meados de setembro.

A margem de erro da pesquisa, realizada de 3 a 6 de outubro, é de 3,5 pontos em Wisconsin, New Hampshire e Ohio, e de quatro pontos na Carolina do Norte.

Uma pesquisa do Washington Post-ABC em Ohio, também divulgada nesta terça-feira, dá ao democrata uma vantagem de seis pontos nesse Estado. A pesquisa foi feita de 3 a 5 de outubro, com mil eleitores, e tem uma margem de erro de 3,5 pontos.

Os Estados da Flórida e Ohio são fundamentais para os candidatos. Em 2004, a estreita vitória de George W. Bush em Ohio garantiu sua reeleição e, em 2000, foi a Flórida que decidiu quem seria o presidente.

Debate

AFP
McCain segue para Tennesse ao lado de mulher
McCain segue para Tennesse ao lado de mulher
Menos de um mês antes das eleições presidenciais, os dois candidatos responderão perguntas de espectadores presentes e inclusive, pela primeira vez, dos internautas.

O debate, que terá duração de 90 minutos, começará às 21h de Washington (22h, horário de Brasília) e será exibido pela maioria das redes de televisão.

O último debate acontecerá em 15 de outubro na Universidade Hofstra, em Hempstead (Nova York), 20 dias antes das eleições de 4 de novembro.

O candidato republicano John McCain está particularmente cômodo com relação a debates. Ele gosta desse tipo de encontro, durante o qual percorre, com o microfone na mão, um pequeno cenário cercado pelo público, intercalando brincadeiras em seu discurso.

No entanto, McCain perdeu terreno nas pesquisas, entre outros motivos por sua dificuldade em apresentar uma resposta às preocupações econômicas. Ele pode, então, adotar um tom mais duro, seguindo a estratégia de sua candidata a vice, Sarah Palin, que no sábado acusou Obama de "ser amigo de terroristas".

O candidato democrata geralmente se sente bem em público, mas seu profundo conhecimento dos temas o torna em alguns momentos um orador bastante complicado para o espectador médio. Ele deverá, portanto, evitar um discurso muito tecnocrático.

"Obama precisa apenas seguir se mostrando como alguém absolutamente capaz de assumir a presidência e concentrar sua campanha sobre a economia em dificuldade. McCain deve mostrar Obama como um risco inaceitável. Obama está muito mais confortável que o segundo", explica à AFP Thomas Mann, especialista em política americana na Brookings Institution.

Seu colega, Stephen Hess, acrescenta: "Um novo debate oferece poucas oportunidades a John McCain de mudar os fundamentos destas eleições, dadas as preocupações econômicas profundas dos eleitores".

O tom da campanha americana se endureceu neste fim de semana, quando os republicanos não hesitaram em acusar o democrata Barack Obama de ter ligações com terroristas, uma estratégia que pode dar certo junto aos eleitores do país, preocupados no momento com a crise financeira, mas sempre atentos à questão de segurança nacional.

Eleições nos EUA:

  • Caio Blinder, de NY: Obama, Roosevelt, e o medo do medo
  • Obama ataca McCain por ligações com escândalo financeiro

    • Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG