Obama e McCain trocam farpas sobre economia

CLEVELAND - Os candidatos à Presidência dos EUA, John McCain (republicano) e Barack Obama (democrata), atacaram-se mutuamente na segunda-feira a respeito das propostas de cada um para a economia, a oito dias das eleições de 4 de novembro.

Reuters |

Atrás nas pesquisas, McCain compareceu a um hotel de Cleveland ao lado de uma equipe de assessores em economia e prometeu adotar medidas imediatas para restabelecer a confiança no mercado de ações dos EUA, para impedir que norte-americanos percam suas casas e para criar empregos.

Obama, que aparece à frente nas pesquisas de intenção de voto nacionais e de vários Estados decisivos, disse em um discurso a ser proferido em Canton (Ohio) ter chegado a hora de "virar a página" em relação às políticas adotadas pelo atual governo do país, liderado pelo presidente George W. Bush.

Na segunda-feira, os dois candidatos faziam campanha em Ohio, um Estado que se mostrou crucial para a vitória republicana nas duas últimas eleições presidenciais.

Obama aparece à frente nas pesquisas realizadas nesse e em vários outros Estados dos quais Bush saiu vencedor em 2004, colocando McCain em uma situação desconfortável.

O democrata ficou cinco pontos percentuais à frente do republicano em uma pesquisa nacional da Reuters/C-SPAN/Zogby divulgada na segunda-feira.

Segundo McCain, a eventual vitória de Obama colocaria no poder uma "perigosa trinca" de democratas (a Câmara dos Deputados é liderada por uma democrata, Nancy Pelosi, e Harry Reid comanda a bancada democrata no Senado) que tentaria aumentar os impostos para implementar planos ambiciosos de gastos.

"Esta eleição resume-se a saber como você deseja que seu suado dinheiro seja gasto. Você quer ficar com ele e investir no seu futuro ou quer que ele seja tomado pela pessoa mais esquerdista a ter assumido o poder e pelos democratas que vêm liderando o Congresso há dois anos?", perguntou McCain.

Saído de grandes comícios realizados no Colorado, no domingo, Obama culpou o governo Bush pela crise financeira e disse que as propostas de McCain para a economia seriam semelhantes às do atual presidente.

O democrata atacou a proposta de McCain sobre dar descontos fiscais para empresas e a oposição do republicano a cancelar os benefícios concedidos por Bush à camada mais rica da população norte-americana, descrevendo esta política econômica como "desgastada".

"Dentro de uma semana, vocês poderão virar a página quanto às políticas que colocaram a ganância e a irresponsabilidade de Wall Street à frente do trabalho duro e do sacrifício do trabalhador comum", afirmou o candidato em seu pronunciamento.

O discurso de Ohio vem sendo descrito pelo comitê de campanha de Obama como a "argumentação final" do candidato, um discurso que deve ser enfatizado em um anúncio de 30 minutos a ser veiculado no horário nobre da TV norte-americana, na quarta-feira.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG