Obama diz apoiar medidas de recuperação econômica dos EUA

WASHINGTON - O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta sexta-feira que apóia os esforços do Tesouro e do banco central para fortalecer a confiança nos mercados financeiros e que vai adiar o anúncio de seu plano de recuperação econômica.

Reuters |

"Os eventos dos últimos dias deixaram claro que devemos realizar novas e ousadas ações para fortalecer a confiança em nossos mercados financeiros e evitar um aprofundamento da crise econômica que poderia ameaçar a poupança e o bem estar de milhões de norte-americanos", disse Obama em um comunicado.

Obama disse apoiar os esforços do secretário do Tesouro, Henry Paulson, e de Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve, o banco central norte-americano, para trabalhar com as lideranças no Congresso em busca de uma solução para a crise, que se agrava.

Enquanto Wall Street se bate com sua pior crise desde a Grande Depressão, o turbilhão financeiro se tornou o tema principal da campanha presidencial, na qual Obama está empatado em uma corrida apertada com seu rival republicano John McCain.

O senador de Illinois disse que discutiria a proposta do Tesouro e do Fed com seus principais assessores econômicos na manhã desta sexta-feira. Entre aqueles que têm aconselhado Obama sobre sua reação à crise financeira estão o ex-presidente do banco central Paul Volcker e os ex-secretários do Tesouro Lawrence Summers e Robert Rubin.

'Dada a gravidade da situação, e baseado em conversas que tive com Paulson e Bernanke, pedi à minha equipe econômica que não apresente ainda um esquema mais detalhado de como um plano imediato pode ser estruturado até que o Tesouro e o Fed tenham tido uma oportunidade de apresentar sua proposta.'

Obama disse ser crucial que mercados e público tenham confiança nos esforços do Fed e do Tesouro e que seu trabalho não seja 'atrapalhado por lutas partidárias'.

Na quinta-feira Obama instou o Fed e o Tesouro a adotar medidas emergenciais para manter o crédito circulando para o atribulado mercado imobiliário, dizendo que isso ajudaria a conter a crise aos mercados financeiros.

Em sua declaração nesta sexta-feira, Obama declarou que o governo precisa também agir para criar empregos e ajudar a apoiar proprietários e comunidades em dificuldades.

Ele ainda disse que qualquer plano de ajuda bancado pelos contribuintes deveria ter o objetivo de longo prazo de criar um mercado financeiro estável e uma economia em crescimento.

'Este plano deve ser temporário e acompanhado de uma supervisão nova e exigente e uma regulamentação de nossas instituições financeiras', disse ele. 'Deve haver um processo claro para suavizar este plano e restituir ativos do setor privado para mãos do setor privado depois de restabelecer a estabilidade do sistema.'

Obama ainda pediu que o plano seja parte de um esforço global coordenado.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG