Obama critica ONU e países africanos por passividade com Zimbábue

O virtual candidato democrata na disputa pela Casa Branca, Barack Obama, criticou a ONU e os países africanos, nesta quarta-feira, por ficarem em silêncio sobre a violência no Zimbábue, avaliando que toleraram o presidente zimbabuano, Robert Mugabe, por tempo demais.

AFP |

A ONU e vários países, "em particular outros países africanos, incluindo a África do Sul, deveriam ter sido muito mais firmes em condenar a extraordinária violência ali", frisou Obama.

"Francamente, mantiveram-se calados por tempo demais e permitiram a Mugabe iniciar essa espécie de retórica anticolonial para distrair a atenção de seus graves erros como líder", acrescentou.

"Mugabe cometeu uma violência extraordinária contra seu próprio povo", insistiu.

"O que essas eleições zimbabuanas deixam é uma fraude total", atacou Obama.

"Seja qual for o resultado de sexta, não acho que Mugabe possa reivindicar qualquer tipo de legitimidade como líder do Zimbábue eleito democraticamente", completou.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG