Obama apresenta novas propostas contra crise financeira

TOLEDO - O candidato do Partido Democrata à Presidência dos EUA, Barack Obama, propôs na segunda-feira quatro medidas para criar empregos no país e proteger os norte-americanos contra os efeitos da desaceleração econômica.

Reuters |


As propostas, que custariam 60 bilhões de dólares em dois anos, incluem descontos fiscais para empresas que criem novas vagas de trabalho, saques sem custo adicional de contas de aposentadoria e impedem temporariamente que os bancos executem hipotecas de pessoas que tentam pagar suas dívidas.

Obama também defendeu que o Federal Reserve e o Departamento do Tesouro criem uma instituição para realizar empréstimos a governos municipais e estaduais, uma manobra semelhante à adotada pelo Fed para injetar liquidez no mercado financeiro.

O democrata apresentou essas idéias em Ohio, um Estado decisivo nas eleições presidenciais que sofreu duramente com a desaceleração da economia norte-americana e que é uma peça central de sua campanha contra o republicano John McCain.

Pesquisas recentes de intenção de voto mostram Obama ampliando sua vantagem em relação a McCain, algumas vezes para colocar uma distância de dois dígitos em relação ao adversário. Em Ohio, no entanto, o democrata lidera com uma pequena vantagem, estatisticamente empatado com o republicano.

Analistas identificam a preocupação dos eleitores com a crise financeira global como um dos fatores que explicam a melhora de Obama nas pesquisas a apenas três semanas das eleições, marcadas para 4 de novembro.

"Estou propondo várias medidas que vocês deveriam adotar imediatamente para estabilizar nosso sistema financeiro, para levar alívio às famílias e comunidades e para ajudar os proprietários de imóveis em dificuldade. Trata-se de um plano que começa com uma palavra que está na cabeça de todo mundo e que se pronuncia assim: E-M-P-R-E-G-O", afirma Obama em um discurso que deve proferir em Toledo.

As propostas do candidato incluem:

- Um crédito fiscal temporário de US$ 3 mil a empresas por cada nova vaga de trabalho que criarem nos EUA ao longo dos próximos dois anos.

- Saques sem custo adicional dos fundos de aposentadoria 401(k) e IRA de no máximo 10 mil dólares neste ano e no próximo.

- Uma moratória de 90 dias na execução de hipotecas de proprietários de imóveis que moram em suas casas e que estão se esforçando para pagar suas dívida.

- Um apelo ao Tesouro para ajudar a descongelar o mercado de hipotecas individuais, de empréstimos para estudantes, de empréstimos para a compra de carros, de empréstimos para moradias que abrigam várias famílias e de empréstimos para o pagamento de cartões de crédito.

O plano também prevê eliminar temporariamente os impostos para o seguro-desemprego e preparar o Fed e o Tesouro a fim de que garantam uma ampla gama de compromissos financeiros do sistema bancário.

Jason Furman, um importante assessor de Obama para questões econômicas, calcula que as propostas custariam 60 bilhões de dólares ao Orçamento federal nos próximos dois anos. Esse montante se somaria ao gasto de 115 bilhões de dólares estimado para o plano que Obama apresentou neste meio de ano com o objetivo de incentivar o crescimento econômico.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG