Obama aparece na frente de McCain em nova pesquisa de intenção de voto

O provável candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, aparece com entre quatro e seis pontos à frente do seu concorrente republicano, John McCain, segundo uma pesquisa publicada neste domingo pelo jornal americano The Washington Post.

Redação com agências internacionais |

A pesquisa foi realizada em conjunto com a rede de televisão "ABC", entre 19 e 22 de agosto, antes de Obama anunciar a escolha do senador Joe Biden como companheiro de chapa.

Entre os eleitores registrados, 49% apóiam Obama e 43% respaldam McCain. Um detalhe interessante é que 52% dos inclinados a votar no democrata estão "muito entusiasmados" com seu candidato, enquanto apenas 28% sentem o mesmo pelo republicano.

Entre os prováveis eleitores, Obama tem 49% das intenções de voto, e McCain, 45%, segundo a mesma enquete.

Quase metade dos entrevistados (48%) acredita que McCain passa mais tempo atacando seu adversário, contra 29% que vêem essa atitude em Obama.

Além disso, 64% acreditam que a campanha de Obama focou mais a discussão de problemas do país, enquanto 45% dos indagados perceberam o mesmo em McCain.

Os entrevistados demonstraram mais confiança em Obama na gestão de assuntos sociais como o aborto, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a economia e a política energética, enquanto McCain é notado como mais capaz para conduzir a luta contra o terrorismo e as relações dos EUA com a comunidade internacional.

O anúncio de Obama

Via mensagem de celular SMS e e-mail aos eleitores cadastrados no site do candidato, o democrata Barack Obama anunciou oficialmente, na manhã deste sábado, o senador Joe Biden, de 65 anos, como candidato a vice-presidente em sua chapa.

Quem é Joe Biden?

Senador pelo Estado de Delaware pelo partido democrata, Joseph Robinette Biden Jr. está no sexto mandato, tendo sido um dos pré-candidatos à presidência neste ano, mas deixou a corrida após derrota no "caucus" de Iowa.

Nascido em 20 de novembro de 1942, em Scranton, Pensilvânia, Biden teve praticamente toda a vida política ligada ao Senado. De família católica irlandesa, ele se formou em História e Ciências Políticas pela Universidade de Delaware, em 1965, e em Direito na Universidade de Syracuse, em 1968. Fora da política, atuou como advogado e defensor público na cidade de Wilmington, Delaware.

AP
Biden faz juramento durante a posse no Senado
Biden faz juramento durante a posse no Senado
Em 1970, Biden foi eleito ao conselho do Condado de New Castle (equivalente ao cargo de vereador). Em 1972, aos 29 anos, venceu a primeira eleição para o Senado, sendo o quinto senador mais jovem da história americana.


Em 18 de dezembro de 1972, a mulher e os três filhos de Biden sofreram um grave acidente de carro. A mulher, Nellia, e uma das filhas, Naomi, morreram. Diante da tragédia, Biden chegou a pensar em renunciar, mas, atendeu apelos da liderança do partido democrata.

Na década de 1990 dedicou-se à resolução dos conflitos nos Balcãs. Após os ataques de 11 de setembro de 2001, foi favorável às invasões do Afeganistão e do Iraque pelo governo de George W. Bush.

Como postulante à indicação democrata à presidência, cometeu uma das mais famosas gafes da campanha: afirmou que "pela primeira vez temos um candidato negro que é articulado, inteligente e bem apessoado" ao se referir a Obama.

Atualmente, Biden, é presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado e é altamente respeitado em questões internacionais. 

Política externa

O pré-candidato democrata, que está em seu primeiro mandato no Senado, tem sido alvo de críticas por supostamente ter pouca experiência política e escasso conhecimento de assuntos de política internacional.

Política externa é também um dos assuntos nos quais o rival de Obama na disputa presidencial, o republicano John McCain, é visto por potenciais eleitores como mais experiente do que o democrata.

Nos últimos anos, Biden viajou oito vezes ao Iraque e duas ao Paquistão e ao Afeganistão. Na segunda-feira, ele regressou de uma viagem à Geórgia, que estava em conflito com a Rússia.

Obama enfrenta o republicano John McCain na eleição presidencial de 4 de novembro. McCain ainda não anunciou sua escolha.

Leia também:

  • Régis Bonvicino : Obama é melhor do que Kennedy, diz Marjorie Perloff
  • Régis Bonvicino : Angelina Jolie apóia John McCain 
  • Perfil Barack Obama: o candidato com a proposta de mudança
  • Perfil John McCain: o candidato sobrevivente de guerra
  • Leia mais sobre: eleições nos EUA

      Leia tudo sobre: eleições euamccainobama

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG