Obama aceita convite de Bush para discutir a crise financeira

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quarta-feira que irá a Washington na quinta para uma reunião com o presidente George W. Bush sobre a crise financeira, anunciou o porta-voz Bill Burton.

Redação com agências |

Ainda na noite desta quarta-feira, a Comissão de Debates Presidenciais dos Estados Unidos divulgou um comunicado para confirmar que o primeiro debate entre os candidatos acontecerá na sexta-feira na Universidade do Mississippi, como planejado. Horas antes, o republicano John McCain tinha pedido o adiamento do evento.

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, anunciou que está suspendendo sua campanha por causa da crise econômica no país e propôs a seu adversário, o democrata Barack Obama, que adiassem o debate que têm marcado para esta sexta-feira ¿ o primeiro entre eles nesta campanha.

"Eu falei com o senador Obama e o informei sobre minha decisão", disse o candidato republicano. "Pedi a ele que se juntasse a mim", afirmou McCain. "Estou pedindo ao presidente (George W. Bush) que realize uma reunião de líderes de ambas as casas do Congresso, incluindo o senador Obama e eu. É hora de ambos os partidos se unirem para resolver este problema."

Falando sobre a proposta após as declarações de McCain, Obama disse que prefere realizar o debate ¿ apesar de não ter deixado claro se pretende ir ao evento na cidade de Oxford, no Estado do Mississippi, mesmo que o republicano não vá.

"O que estou planejando fazer agora é debater na sexta-feira", disse o democrata.  "Eu acredito que este é o momento em que o povo americano deve ouvir a pessoa que em aproximadamente 40 dias vai ser responsável por lidar com esta bagunça", afirmou.

Pacote

McCain disse que suspenderá sua campanha na quinta-feira e seguirá para Washington, onde o governo americano tenta convencer o Congresso a aprovar um pacote de ajuda de US$ 700 bilhões para o mercado financeiro.

O candidato republicano advertiu que os Estados Unidos vivem uma crise histórica e pediu que o Congresso aja com rapidez para impedir que ela se agrave. "Se nós não agirmos, cada canto de nosso país receberá o impacto. Não podemos permitir que isso aconteça", disse.

Obama afirmou que, em uma conversa telefônica com McCain nesta quarta-feira, propôs a ele que os dois emitissem uma declaração conjunta sobre a crise antes de tomar qualquer outra decisão, como adiar o debate.

O democrata deu a entender que ficou surpreso com as declarações públicas feitas pelo republicano após a conversa. "Precisamos nos concentrar em resolver o problema, como disse nos últimos dias, mas também acho importante dizer ao povo americano para onde nós precisamos ir para sair dessa situação. E, como já disse, eu acho que é possível fazermos ambas as coisas, disse Obama. "Eu acho que é parte do trabalho do presidente lidar com mais de uma coisa de cada vez."

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG