Obama abre dez pontos sobre McCain a três semanas de eleições

WASHINGTON - O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, ampliou a vantagem sobre seu rival republicano, John McCain, após o penúltimo debate, de terça-feira passada, consolidando uma diferença de dez pontos percentuais, a três semanas das eleições.

EFE |

A pesquisa mais recente, elaborada pelo jornal "The Washington Post" e pela cadeia de televisão "ABC" depois do penúltimo debate, dá a Obama 53%, contra 43% de McCain.

A pesquisa indica que o candidato republicano se estagnou nos últimos dias ou, inclusive, perdeu terreno entre os eleitores americanos, enquanto Obama, pela primeira vez na campanha eleitoral, recebeu boas notas em política fiscal e liderança.

A pesquisa revela que McCain conseguiu convencer os eleitores de que Obama seria "arriscado demais" ou "muito liberal" para ser presidente.

Mais ainda, recentes mudanças na estratégia republicana danificaram a imagem de McCain, que colhe agora mais opiniões negativas que antes ao optar por atacar seu rival em vez de comentar assuntos que realmente interessam aos eleitores.

Até os partidários de McCain mostram uma postura menos entusiasta pela candidatura do republicano e os números de apoio caíram a níveis que só registrados antes do Convenção Nacional Republicana.

Segundo a pesquisa, o debate presidencial do terça-feira passada não provocou grandes mudanças de opinião sobre os dois candidatos, mas, curiosamente, deu um impulso a Obama.

Quase dois terços dos eleitores - 64% - vêem agora o senador por Illinois com bons olhos, dando um aumento de seis pontos percentuais em relação aos dados de setembro.

Além disso, um terço dos eleitores afirmou ter uma melhor opinião de Obama depois do debate, enquanto apenas 8% pioraram sua impressão.

Mais de um quarto dos entrevistados piorou sua opinião sobre McCain após o debate presidencial, mais que o dobro dos que asseguram que sua imagem melhorou.

Embora a esta altura haja poucos sinais de mudança nas pesquisas por parte de McCain, a história mostra que os resultados das pesquisas publicados em meados de outubro ainda podem dar um giro.

Uma virada em uma diferença de dois dígitos, porém, seria uma conquista sem precedentes na era moderna.

Em 1992, Bill Clinton tomou 14 pontos de vantagem sobre George H.W. Bush em uma pesquisa do "Washington Post" e da "ABC", e em outubro de 1976, Jimmy Carter liderou as enquetes com 13 pontos sobre Gerald Ford na mesma época.

Ambos - democratas, como Obama - acabaram vencendo seus rivais republicanos nas eleições.

Veja também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG