McCain se trancará em hotel no dia do pleito; candidato quer evitar multidões

María León. Phoenix (EUA), 1º nov (EFE).- O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, vai se refugiar em um hotel de Phoenix na noite das eleições, quando evitará atos públicos e se dirigirá aos eleitores por meio de um circuito fechado de televisão.

EFE |

Esta decisão foi tomada por problemas de espaço nas instalações, informaram hoje fontes do Partido Republicano, que não descartaram mudanças de última hora que permitam a McCain aparecer para os eleitores que se reunirem em frente ao Hotel Biltmore.

Assim que os primeiros resultados eleitorais e as pesquisas de boca-de-urna forem anunciados, o candidato republicano fará um discurso a um pequeno grupo de pessoas reunidas no jardim do empreendimento, de onde o pronunciamento vai ser retransmitido para telões instalados para os saguões em que a imprensa estará reunida.

O discreto evento romperá com a tradicional apresentação dos candidatos na noite eleitoral, quando geralmente se dirigem a uma grande multidão, tradição que o candidato democrata Barack Obama, apesar do slogan de sua campanha, preferiu não mudar.

Nas últimas décadas, o hotel Biltmore de Phoenix, símbolo da cidade, inaugurado em 1929 e freqüentado por políticos e artistas, esteve associado a momentos felizes da vida de McCain.

Foi lá onde ele festejou seu casamento com sua atual esposa, Cindy, em 1980, e onde celebrou sua nomeação como candidato republicano nas eleições presidenciais de 2008, em março deste ano.

Os atos preparados para a noite de 4 de novembro, que os republicanos já batizaram de "Noite da Vitória Eleitoral 2008", são uma incógnita que será revelada ao longos dos próximos dias.

O porta-voz do Departamento de Polícia de Phoenix, Luis Samudio, disse à Agência Efe que as forças de segurança não receberam nenhuma solicitação do escritório de campanha de McCain para que fosse montado um esquema especial de segurança no hotel.

"Geralmente, eles levam sua própria segurança", disse Samudio, que disse que a Polícia não está preparando um plano específico para a noite de 4 de novembro.

"Como sempre, estaremos em alerta, prontos para responder a qualquer tipo de emergência", acrescentou.

McCain chegará terça-feira a Phoenix, onde votará em meio a jornalistas de várias partes do mundo e dos EUA.

De acordo com uma pesquisa divulgada esta semana pela Universidade do Estado do Arizona (ASU), o candidato republicano na frente de Obama neste estado, embora a diferença tenha diminuído e seja a menor desde o início da campanha presidencial.

Nessa sondagem no Arizona, 46% dos entrevistados se mostraram a favor de McCain, ao passo que 44% declararam seu apoio a Obama.

Em virtude da disputa acirrada, a equipe do candidato democrata anunciou que retomará os anúncios televisivos com mensagens de Obama no estado, com o objetivo de virar o jogo nas urnas.

Com a exceção da vitória democrata de Bill Clinton nas eleições de 1996, o Arizona apóia candidatos republicanos à Presidência desde 1952.

Em 2004, o atual presidente, George W. Bush, derrotou o democrata John Kerry neste estado por uma diferença de 10,5 pontos. EFE ml/sc

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG