McCain quer EUA livres de petróleo importado até 2025

LAS VEGAS - Prometendo acabar com o poder da Opep sobre os norte-americanos, o candidato republicano à Casa Branca, John McCain, disse na quarta-feira que, se for eleito, colocaria o país em um caminho no qual este se livraria de sua dependência em relação ao petróleo internacional até 2025.

Reuters |

Descrevendo a dependência dos norte-americanos em relação ao petróleo importado cada vez mais dispendioso como 'uma situação perigosa' capaz de ameaçar a economia do país, McCain disse: 'No início do próximo governo, temos de assumir o controle sobre nosso futuro no setor energético e nos tornarmos novamente donos de nosso destino.'

McCain e o democrata Barack Obama, rivais nas eleições presidenciais de novembro, disparam propostas conflitantes a respeito de como enfrentar o problema dos combustíveis em um momento no qual os norte-americanos deparam-se com altos preços da gasolina, fato esse que contribuiu para colocar a economia do país à beira de uma recessão.

O republicano sugeriu conceder incentivos para o desenvolvimento de carros elétricos, encorajar a construção de novas usinas nucleares, permitir a extração de petróleo em plataformas marinhas e investir em tecnologia de carvão limpo.

'Nos últimos dias, apresentei ao povo norte-americano um plano para o setor energético. Permitam-me começar o dia de hoje com esse compromisso: em um mundo de fornecedores de petróleo hostis e instáveis, esta nação conseguirá sua independência estratégica até 2025', disse.

O petróleo importado responde por cerca de 60 por cento da demanda norte-americana.

'Juntos, vamos acabar com o poder da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) sobre os EUA', afirmou.

O republicano ainda fez declarações contundentes a respeito de alguns dos países do Oriente Médio bem como a respeito da Venezuela e de outras nações às quais os norte-americanos recorrem para obter petróleo.

'Essas sociedades contam-se entre as mais opressoras e estagnadas da Terra. E são controladas por ricas elites do petróleo que não durariam muito se seu próprio povo tivesse a chance de se manifestar', afirmou.

O comitê de campanha de Obama lançou um site, www.NewEnergyForAmerica.com, a fim de deixar claras as diferenças entre as propostas do democrata e as do republicano.

Obama defende um plano de 150 bilhões de dólares que seriam gastos ao longo de dez anos a fim de criar empregos, ampliar a base manufatureira do país e desenvolver fontes de energia menos danosas ao meio ambiente.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG