McCain diz que Fed deve parar de conceder empréstimos a empresas

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, recomendou na sexta-feira ao Federal Reserve, banco central norte-americano, que não se envolva com os problemas das empresas e volte a lidar com o suprimento de dinheiro e com a proteção do poder de compra do dólar.

Reuters |

"O Fed deve voltar à sua principal responsabilidade, que é administrar o estoque e a inflação do nosso dinheiro", disse o senador pelo Arizona a um grupo de líderes empresariais em Wisconsin, um Estado cujos votos são disputados por ele e pelo rival democrata, Barack Obama.

"(O Fed) precisa se abster dos resgates financeiros."

McCain também apresentou algumas de suas idéias para solucionar a crise financeira em Wall Street e disse que suas reformas aumentariam a transparência entre as instituições financeiras.

"Vou propor e aprovar leis e reformas que evitem que as empresas financeiras ocultem práticas ruins", disse.

Em um golpe contra a administração Bush, McCain disse que o Departamento do Tesouro, se supervisionado por ele, teria políticas consistentes para garantir empréstimos.

"Nos casos em que companhias à beira da falência tentam saldar suas dívidas com o contribuinte, o Departamento de Tesouro seguirá políticas consistentes para decidir se garante ou não os empréstimos", afirmou.

"Com bilhões de dólares de dinheiro público em risco, não vai ajudar se continuarmos fazendo da maneira como estamos fazendo."

McCain não especificou quais critérios deveriam ser usados para determinar quais empresas poderiam receber empréstimos do governo e quais não poderiam.

O candidato também atacou Obama por suas ligações com executivos da Fannie Mae e da Freddie Mac, gigantes do ramo de hipotecas cujo controle foi recentemente assumido pelo governo.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG