McCain diz que Brasil é exemplo na área energética

Washington - O senador John McCain, candidato republicano à Casa Branca, afirmou ontem que os Estados Unidos deveriam seguir o exemplo do Brasil, que expandiu sua frota de carros com motor bicombustível, e aproveitou para atacar o apoio do democrata Barack Obama às barreiras contra o álcool brasileiro. Em três anos, o Brasil passou de 5% de carros com motor flex em sua frota para 70%, disse McCain.

Agência Estado |

"Só que as mesmas montadoras que ajudaram o Brasil a fazer essa mudança dizem que demoraria muito mais para transformar a metade de nossos novos veículos em carros flex."

McCain voltou a criticar os subsídios ao álcool americano feito de milho e as barreiras contra o produto brasileiro, feito de cana-de-açúcar. "Nosso governo paga para subsidiar o etanol de milho e, ao mesmo tempo, cobra tarifas que impedem os consumidores de se beneficiar de outros tipos de etanol, como o do Brasil" , disse.

"O resultado é que o americano paga a conta duas vezes. Arcamos com os subsídios e, como consumidores, pagamos mais na bomba porque colocamos barreiras sobre produtos mais baratos do exterior."

A crítica tinha endereço certo: a campanha de Obama, que defende os subsídios e a tarifa sobre o combustível brasileiro. Obama é senador pelo Estado de Illinois, segundo maior produtor de milho dos EUA. Em entrevista ao Estado , semana passada, McCain já havia criticado os subsídios ao etanol de milho. "É errado impor uma tarifa de US$ 0,54 por galão de álcool brasileiro, que é claramente mais eficiente do que o nosso." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG