McCain critica Obama ao percorrer a Flórida de ônibus

ORMOND BEACH - O candidato do Partido Republicano à Presidência dos EUA, John McCain, criticou na quinta-feira, durante um percurso de ônibus pela Flórida, as propostas de seu adversário do Partido Democrata, Barack Obama, para as áreas fiscal e de segurança nacional.

Reuters |


Atrás nas pesquisas de intenção de voto tanto nacionalmente quando em muitos Estados decisivos, McCain depara-se com obstáculos cada vez maiores em sua busca pela vitória e está agora na situação de defender Estados onde os republicanos vinham ganhando nas últimas eleições.

Com menos de duas semanas para a votação, Obama aparece à frente de McCain, com 52% das intenções de voto contra 40%, na última pesquisa de três dias da Reuters/C-SPAN/Zogby.

McCain aposta suas fichas na deflagração de um levante dos "Joe, os encanadores" contra a campanha mais rica de Obama. O republicano espera alimentar o sentimento populista de rechaço à proposta feita pelo adversário ao encanador Joe Wurzelbacher de que a elevação dos impostos para contribuintes com renda anual superior a 250 mil dólares permitirá ao governo "dividir a riqueza".

McCain descreveu a medida como de redistribuição de renda e disse que ela prejudicaria as pequenas empresas responsáveis por grande parte das vagas de trabalho do país. Algumas pessoas presentes nos comícios dele acenavam com camisetas nas quais se liam as palavras: "Joe, o encanador".

"Ele está mais preocupado com usar os impostos para dividir a riqueza do que com elaborar um plano fiscal que gere empregos e que faça nossa economia crescer", afirmou o republicano diante de uma platéia reunida no pátio de uma madeireira em Ormond Beach (Flórida).

"O senador Obama preocupa-se mais com controlar quem recebe um pedaço do bolo do que com fazer o bloco crescer", disse McCain. Obama, senador pelo Estado de Illinois, afirma que seu plano fiscal daria a 95% dos norte-americanos descontos nos impostos.

O democrata ficará afastado por um dia de sua campanha para visitar a avó doente, no Havaí. Ao fazer isso, Obama abrirá espaço para McCain a menos de duas semanas da eleição.

O democrata deve passar a sexta-feira ao lado de Madelyn Dunham, a mulher que ajudou a criá-lo e que ele chama carinhosamente de "Toot" - forma abreviada de "tutu", a palavra havaiana para avó.

Dunham, 85, quebrou recentemente o quadril e está bastante doente. Obama disse que não deseja repetir o erro cometido com sua mãe, que morreu de câncer antes de o filho conseguir estar ao lado dela.

McCain realiza um périplo de ônibus pelo "corredor da Interestadual 4", na Flórida, uma área de 12 condados da região central do Estado onde precisa angariar um grande número de votos para conseguir vencer nesse Estado, que ficou ao lado dos republicanos nas duas últimas eleições presidenciais.

Pesquisas mostram que a disputa segue apertada na Flórida.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG