Hillary e Obama dividem primárias de terça nos EUA

Hillary Clinton e Barack Obama dividiram as primárias democratas desta terça-feira, o que, inevitavelmente, prolonga a indefinição sobre quem será o candidato do partido na corrida pela Casa Branca.

AFP |

Obama felicitou a senadora Hillary Clinton pelo que "parece" ser uma vitória na primária de seu partido em Indiana, nessa terça.

"Quero começar felicitando a senadora Hillary Clinton pelo que parece ser sua vitória no grande estado de Indiana", declarou Barack Obama a seus simpatizantes reunidos em Raleigh, na Carolina do Norte.

A rede CBS foi a primeira a anunciar a vitória de Hillary em Indiana, em uma disputa bastante apertada.

Após a apuração de 69% dos votos, a ex-primeira-dama liderava a briga com 53%, contra os 47% de Obama.

Já na Carolina do Norte, apurados 13% dos votos, o senador vencia Hillary, por 60% a 40%. Com isso, Obama reforçará seu avanço sobre a rival em número de delegados para a convenção do Partido Democrata, que escolherá, no final de agosto, quem disputará a Casa Branca.

Hoje de manhã, o senador por Illinois tinha 1.738 delegados contra 1.606 de Hillary, de acordo com o site independente RealClearPolitics. O número, ainda distante do mínimo necessário de 2.025 delegados para ganhar a candidatura, mostra que o quadro não está definido. As primárias dessa terça dividem 72 delegados por Indiana e 115 pela Carolina do Norte.

Pesquisas realizadas hoje revelaram uma profunda divisão entre os democratas: apenas 48% dos seguidores de Hillary em Indiana e 45% na Carolina do Norte estão dispostos a votar em Obama se ele for eleito para enfrentar o republicano John McCain na eleição à presidência, em 4 de novembro.

Em Indianápolis, capital de Indiana, Hillary garantiu hoje cedo que não pensa em abandonar a corrida.

A primária de Indiana, caracterizada por uma forte participação, era aberta a todos os eleitores, incluindo republicanos. O jornal local "Indy Star" revelou uma forte participação nas zonas tradicionalmente de direita. Enquanto isso, o polêmico ultraconservador Rush Limbaugh pedia aos eleitores que votassem em Hillary para semear o "caos" no ninho democrata.

As equipes de Hillary e Obama esperam poder se apoiar nos resultados dessa terça para tentar atrair os cerca de 270 "superdelegados" indecisos. Membros do partido com direito a voto na convenção, eles são essenciais, porque decidirão, em última instância, quem vai concorrer à presidência dos Estados Unidos.



    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG