Ex-democrata Lieberman critica Obama e defende McCain

Joseph Lieberman, que disputou as eleições presidenciais de 2000 como vice na chapa de Al Gore, criticou nesta terça-feira o candidato à Casa Branca de seu antigo partido, Barack Obama, e elogiou a atuação de John McCain como congressista.

AFP |

Lieberman, que hoje atua no Senado como um democrata independente, depois de romper com o partido por causa da guerra, afirmou que apenas o candidato republicano à presidência, John McCain, tem capacidade de sustentar o papel dos Estados Unidos no Iraque com honra.

"Precisamos de um presidente em quem possamos contar para lutar pelo que é certo para o nosso país, especialmente em tempos de guerra", disse Lieberman em seu discurso na Convenção Republicana.

"Quando os outros se calaram, John McCain teve o senso para fazer soar o alarme sobre os erros que estávamos cometendo no Iraque", declarou Lieberman, elogiando McCain por ter defendido desde o início o envio de mais tropas para o front iraquiano.

"Quando os outros quiseram bater em retirada derrotados do campo de batalha", continuou o senador por Connecticut, "quando Barack Obama estava votando para cortar o orçamento para nossas tropas em guerra, John McCain teve a coragem de se opor contra a maré da opinião pública e apoiar o envio de reforços. Por causa disso, hoje nossas tropas estão começando a voltar para casa, não como fracassados, mas sim com honra".

Obama estava entre os congressistas que no ano passado votaram contra o aumento do orçamento militar americano, que terminou sendo aprovado.

Lieberman, que no Senado ainda vota com o Partido Democrata na maioria dos projetos apresentados sobre segurança nacional, ironizou sua presença na Convenção Republicana.

"O que, afinal de contas, um democrata como eu está fazendo em uma convenção republicana como esta?" - perguntou.

"A resposta é simples: estou aqui para apoiar John McCain, porque o país tem mais importância que o partido. Estou aqui hoje porque John McCain é a melhor escolha para unir nosso país e levá-lo adiante".

"Estou aqui porque toda a vida de John McCain é a prova de uma grande verdade: ser democrata ou republicano é importante, mas não é mais importante que ser americano", concluiu o senador.

    Leia tudo sobre: mccain

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG