EUA: Palin evita polêmica sobre clínicas de aborto

A candidata republicana à vice-presidência americana, Sarah Palin, disse nesta sexta-feira não saber se as pessoas envolvidas em atentados a clínicas que praticam abortos são terroristas.

AFP |

"Não sei", respondeu Palin, em entrevista à rede NBC, ao ser questionada sobre se os atentados com bomba contra essas clínicas devem ser chamados de "terroristas".

A companheira de chapa do republicano John McCain acusou seu adversário democrata, Barack Obama, de ter ligações com Bill Ayers, um ex-radical de extrema-esquerda, que pertenceu a uma organização que assumiu a autoria de vários atentados ao Pentágono e ao Capitólio no início da década de 1970.

"Não há dúvida de que Bill Ayers admite que queria destruir nosso Capitólio e nosso Pentágono. É um terrorista. Não há dúvida. Mas os outros (os que põem bombas em clínicas de aborto), que querem prejudicar americanos inocentes e edifícios, (isso) é inaceitável, mas não sei se podemos utilizar a palavra terrorista nesse caso", disse Palin, governadora do Alasca, de 44 anos.

aje/tt/LR

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG