Eleições nos EUA: Obama recebe cada vez mais apoio dos quadros democratas

Os sinais de que a candidatura democrata está chegando ao seu desfecho são cada vez mais claras, com cada vez mais quadros do partido declarando apoio a Barack Obama, agora que sua vitória frente à Hillary Clinton parece ter tomado um caminho sem volta.

AFP |

  • Saiba tudo sobre a corrida à Casa Branca
  • Entenda como funciona a corrida eleitoral americana
  • Veja o número de delegados por Estado dos candidatos

  • A rede de televisão ABC anunciou nesta sexta-feira que, pela primeira vez, Barack Obama possui mais apoio dos superdelegados (267 contra 266) que Hillary.

    Até agora, o número de superdelegados era o único indicador onde Obama não aparecia na liderança - já que em quatro meses de primárias, venceu em mais Estados, obteve mais delegados e a maior parte do voto popular, além de ter arrecadado muito mais para sua campanha do que a ex-primeira-dama.

    Nesta sexta-feira, Obama conseguiu o apoio de quatro superdelegados suplementares, incluindo um deputado de Oregon (noroeste) e de Nova Jersey. No total, Obama já teria conquistado o apoio de dez superdelegados desde a sua ampla vitória na Carolina do Norte na terça, e de ter perdido por pouco em Indiana.

    Um influente sindicalista, o presidente da Federação americana dos funcionários governamentais (AFGE), John Gage, explicou à AFP que os membros do seu sindicato "se impressionaram com a vitalidade, o entusiasmo e o grande apelo de Obama", buscando mais apoio para o pré-candidato democrata.

    Contudo, apesar da mídia já ter enterrado a candidatura de Hillary, Obama ainda não pode declarar abertamente sua vitória, apesar da sua visita com pompas de estrela, na quinta-feira, ao plenário da Câmara dos representantes.

    Por sua vez, as personalidades mais influentes do partido, a presidente da Câmara Nancy Pelosi, o chefe da maioria no Senado Harry Reid, o ex-vice-presidente Al Gore, ainda não se pronunciaram. "À medida que primárias forem acontecendo, um vencedor surgirá", disse Pelosi.

    O ex-pré-candidato John Edwards, que não fez grandes declarações desde que abandonou a corrida no fim de janeiro, pronunciou uma frase ambígua na rede de televisão MSNBC, sem declarar formalmente seu apoio.

    "Considera-se simplesmente que Barack será investido, porque as coisas vão nesta direção", disse.

    Um deputado que ainda não fez sua escolha, Jason Altmire, afirmou que "o mais importante é que se trata de uma eleição nacional, e quero apoiar a vontade do povo", também na rede MSNBC.

    "Vou dar a Hillary a possibilidade que merece de ir até o final do processo, e ver se pode se recuperar" acrescentou, prevendo que irá se declarar após 3 de junho, o último dia das primárias.

    Mas alguns, como o deputado Rahm Emanuel, que foi o colaborador de Bill Clinton, já preveniram a Hillary para que não continue a dar munição aos republicanos contra Obama, em sua campanha.

    Leia mais sobre: eleições nos EUA

      Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG