Disputa pela Casa Branca esquenta com críticas entre campanhas

WASHINGTON - A disputa pela Casa Branca entre o democrata Barack Obama e o republicano John McCain esquentou um pouco mais hoje com o anúncio do primeiro candidato de que teve uma arrecadação de fundos recorde em agosto e pelas críticas mútuas entre as campanhas.

EFE |

Segundo anunciou hoje o porta-voz de Obama, Bill Burton, o candidato democrata arrecadou US$ 66 milhões no último mês, o maior valor obtido na história eleitoral americana e que bate o recorde batido pelo próprio aspirante em fevereiro deste ano, de US$ 55 milhões.

Além disso, Obama captou 550 mil novos doadores para sua campanha, detalhou Burton.

O anúncio representa uma boa notícia para Obama, que perdeu a vantagem que tinha nas pesquisas desde a Convenção Republicana, há duas semanas.

Entretanto, seu efeito fica neutralizado caso se leve em conta que McCain, que também não teve um agosto ruim, do ponto de vista financeiro (arrecadou US$ 47 milhões, seu recorde pessoal), tem o apoio do Comitê Nacional Republicano.

Esta entidade tem mais dinheiro no banco para apoiar sua campanha que o Comitê Nacional Democrata para colocar à disposição de Obama.

O candidato republicano, encorajado por seu crescimento nas pesquisas, tinha previsto participar hoje de um ato eleitoral em New Hampshire, enquanto seu rival descansa em Chicago.

No entanto, suas campanhas não pararam e trocaram uma série de acusações sobre a veracidade de várias afirmações republicanas nos últimos dias, a maior parte delas em torno de sua candidata à vice-presidência, Sarah Palin, governadora do Alasca.

No programa "Late Edition" da rede de televisão "CNN", o governador do Novo México, o democrata Bill Richardson, afirmou que Palin "é uma governadora, e isso lhe dá uma boa experiência executiva. É inteligente.  Mas também há muitas distorções de seu histórico que estão começando a ser publicadas".

Richardson, um ex-rival de Obama nas primárias democratas que se transformou em um apoiador entusiasmado, se referiu concretamente às afirmações da campanha republicana sobre a visita de Palin ao Iraque no ano passado, quando, na verdade, ela não chegou a atravessar a fronteira do Kuwait.

Já a representante pela Flórida Debbie Wasserman Schultz acusou Palin, no programa "Face the Nation", da rede "CBS", de "não saber nada e não estar preparada para ser vice-presidente".

Nesse mesmo programa, a senadora republicana pelo Texas Kay Bailey Hutchinson defendeu a candidata a vice-presidente e ressaltou que os dois últimos chefes de Estados do país foram governadores sem experiência internacional anterior.

A ex-diretora geral da Hewlett Packard e presidente da campanha de McCain, Carly Fiorina, considerou no programa "This Week", da rede "ABC", que as denúncias democratas se devem ao pânico sofrido por sua queda nas pesquisas.

As críticas mútuas aconteceram enquanto o jornal "The New York Times" publicava novas alegações sobre Palin, nas quais a acusa de favorecer amigos na concessão de empregos públicos.

O jornal dá como exemplo a concessão do cargo de diretor de Agricultura do Alasca, emprego com um salário de US$ 95 mil, a sua amiga de escola Franci Havemeister, que citou como qualificação que quando menina gostava muito de vacas.

Segundo a publicação, Havemeister é uma em pelo menos cinco colegas de escola que Palin contratou com salários acima de seus equivalentes no setor privado.

Disputa acirrada

As últimas pesquisas indicam um empate ou uma ligeira vantagem para McCain nas preferências do eleitorado.

Segundo o índice diário da empresa Rasmussen, McCain está três pontos à frente de Obama, com 50% contra 47%. Já a revista "Newsweek" dá empate entre ambos os candidatos, com 46%.

No entanto, Obama registra um aumento de sua vantagem em Iowa, que em 2004 apoiou o presidente americano, George W. Bush, e onde, segundo a pesquisa do jornal "Des Moines Register", o candidato democrata tem 12 pontos a mais que o adversário: 52% contra 40%.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG