furacão Palin - Eleições nos EUA - iG" /

Convenção Republicana termina com a calma de McCain após o furacão Palin

Macarena Vidal. St Paul (EUA) - A Convenção Republicana foi encerrada hoje com um comedido discurso de aceitação de seu candidato presidencial, John McCain, em um tom muito diferente do usado na noite anterior por sua companheira de chapa, a governadora do Alasca, Sarah Palin.

EFE |

O encerramento do encontro republicano, cujo início foi ofuscado pela passagem do furacão "Gustav" pelo sul do país, teve todos os ingredientes das superproduções políticas.

No Xcel Energy Center, em St Paul, no Minnesota, sede da Convenção Republicana, 200.000 balões com as cores da bandeira dos Estados Unidos encerraram oficialmente a convenção, enquanto 20.000 pessoas aplaudiam McCain, Palin e suas famílias, que estavam no palco.

A festa no encerramento contrastou com o tom calmo que McCain usou em seu discurso para afirmar que recebia a nomeação com "agradecimento, humildade e confiança".

O candidato republicano discursou em um palanque modificado especialmente para ele, com uma rampa que avançava em direção ao público para permitir que ele ficasse mais perto dos delegados.

McCain foi ovacionado por cerca de 2 minutos / AP

Como era esperado, seu discurso foi muito diferente do oferecido pelo candidato democrata, Barack Obama, de 47 anos, na semana passada, em um estádio em Denver que reuniu 84.000 pessoas.

McCain optou hoje por discursar em um tom mais calmo do que o adotado pelos republicanos durante a convenção, e chegou a elogiar o candidato democrata no começo de seu pronunciamento. "Obama tem meu respeito e minha admiração", disse.

O candidato republicano apostou na imagem que projeta nesta convenção, a de um político independente que não está totalmente alinhado com seu próprio partido e que está disposto a uma reforma profunda da política americana.

"Quero enviar uma mensagem às pessoas de sempre em Washington, que não fazem nada, gastam muito, e que nunca pensam primeiro no país: a mudança está se aproximando", assegurou.

McCain abordou também uma série de promessas políticas, entre elas as de "impostos baixos, disciplina fiscal e mercados abertos", e comentou sobre as Forças Armadas americanas.

"Sei como funcionam as Forças Armadas, o que podem fazer, no que é possível melhorar e o que não devem fazer. Sei como funciona o mundo, o bem e o mal que há nele. Sei como trabalhar com líderes que compartilham nossos sonhos de um mundo mais livre, seguro e próspero, e como fazer frente aos que pensam de outra maneira", assegurou.

McCain foi interrompido várias vezes pelos aplausos dos delegados, mas em nenhum momento seu discurso alcançou o frenesi causado na noite anterior por Palin, foco da imprensa esta semana após anunciar que sua filha de 17 anos está grávida.

EFE/CRAIG LASSIG
"Ele saberá governar o país", disse Cindy
O candidato, que falou por cerca de 40 minutos, foi precedido no palco por sua mulher, Cindy, que o apresentou como "um homem verdadeiro" que saberá "governar o país".

Cindy também defendeu a capacidade de McCain de transformar a política americana, ao descrever seu marido como "um homem que viveu em Washington, mas que nunca foi parte de Washington".

"John é um homem de bom julgamento e de personalidade forte (...) uma pessoa que sempre diz a verdade, custe o que custar (...) e é uma pessoa amável e leal, além de magnífico marido", disse.

"Eu o amo com toda a minha alma há quase 30 anos, e com toda a humildade o recomendo como nosso candidato para ser o próximo presidente dos EUA", acrescentou.

A festa durou pouco para os candidatos. McCain e Palin partiram imediatamente depois do encerramento para Michigan, onde amanhã abrirão com uma série de comícios a reta final da campanha republicana.

Leia também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG