Como o debate entre vices nos EUA pode fazer diferença

WASHINGTON - O duelo de quinta-feira entre a republicana Sarah Palin e o democrata Joe Biden será o único debate deste ano entre os candidatos a vice-presidente dos Estados Unidos, e excepcionalmente desta vez atrai grande atenção, em especial devido ao interesse despertado por Palin.

Reuters |

A governadora do Alasca era virtualmente desconhecida do grande público até o final de agosto, quando foi indicada por John McCain para completar a chapa. Mãe de cinco filhos, caçadora de alces nas horas vagas, ela rapidamente se tornou uma celebridade e entusiasmou os conservadores - embora posteriormente tenha gerado dúvidas a respeito de sua capacidade.

Já Biden, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, é um dos rostos mais conhecidos da política norte-americana, e foi escolhido por Barack Obama justamente para contrabalançar a pouca experiência do candidato democrata em questões de política externa.


Biden é experiente mas suas gafes podem comprometê-lo / AP

Palin, de 44 anos, tem sido blindada dos jornalistas e desde a indicação concedeu apenas três entrevistas a TVs, nas quais parecia hesitante e ensaiada demais. Ela não tem de ser uma especialista em política internacional, mas precisa se mostrar capaz de assumir a presidência no caso de impedimento de McCain , que aos 72 anos seria a pessoa mais velha já eleita para um primeiro mandato presidencial nos EUA.


Palin entuasmou eleitores e deve atrair atenção para o debate/ NYT

Biden, de 65 anos, é verborrágico, tem propensão a gafes e às vezes soa arrogante. Pode passar uma imagem ruim caso seja agressivo demais no debate, então deve praticamente ignorar a adversária, falando diretamente à audiência sobre Obama e McCain.

Os candidatos ficarão de pé atrás de bancadas. Devem falar de política externa e interna, mas o principal tema certamente será a crise financeira e a discussão parlamentar sobre o pacote de ajuda a Wall Street.

Em geral, os debates dos candidatos a vice são tediosos, mas desta vez a audiência televisiva nos EUA pode superar os 52 milhões que assistiram ao confronto entre Obama e McCain, na sexta-feira passada, no primeiro embate entre os concorrentes à Casa Branca.

Há até mesmo a expectativa de que este se torne o debate entre vices mais assistido na história, superando os 57 milhões que viram o duelo de 1984 entre o então vice- presidente republicano George H. Bush (pai do atual presidente) e a democrata Geraldine Ferraro, primeira mulher a compor a chapa de um grande partido nos EUA (Palin é a segunda).

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG